Descrição de chapéu Coronavírus

São Paulo registra mais de 6.300 casos de Covid-19 em um dia

No mesmo período, doença matou 268 pessoas; altas hospitalares são 19,77% do total de casos

São Paulo

O estado de São Paulo bateu um recorde no número de novos casos de Covid-19 registrados em 24 horas: 6.382, com 268 novas mortes.

Após o governador de São Paulo, João Doria, divulgar as novas regras de flexibilização da quarentena, a Secretaria Estadual da Saúde passou a focar em seu boletim diário o número de altas hospitalares, minimizando o crescimento da doença no território.

Até esta quinta-feira (28), São Paulo somava 95.865 casos e 6.980 mortes. No dia anterior, o estado chegou a 89.483 casos e 6.712 mortes. Na quarta (27), haviam sido confirmados 3.466 novos casos da doença, 2.916 a menos que nesta quinta.

Desde o início da pandemia no estado, 18.955 pessoas diagnosticadas com Covid-19 tiveram alta dos hospitais. O número equivale a 19,77% do total de casos confirmados.

A doença se espalhou por 517 cidades paulistas. Dessas, 257 tiveram no mínimo um óbito. Dos mortos, 4.091 são homens e 2.889, mulheres.

Do total de casos do estado, 59,22% estão na capital paulista, que somou 56.775 confirmações de Covid-19. Em relação às mortes, 3.719, o número equivale a 53,28% do estado.

A taxa de ocupação de leitos de UTI reservados para Covid-19 também foi recorde no estado. Nesta quinta, alcançou 77,4%. Na Grande São Paulo marcou 89,2% —4.701 pacientes estão internados em UTIs e 7.805 em enfermarias.

De acordo com os membros do Centro de Contingência do Coronavírus e o próprio governador, a flexibilização da quarentena só deveria ocorrer se a taxa de ocupação de leitos de UTI ficassem em 60%, no máximo.

Na cidade de São Paulo, a taxa de ocupação de leitos de UTI dos hospitais municipais está em 83%. Há três semanas, o índice oscila entre 85% e 92%. Nos contratualizados, o índice é de 64,5%.

Segundo a Secretaria Estadual da Saúde, para o enfrentamento à pandemia foram ativados 3.622 leitos de terapia intensiva. Destes, 121 são de UTI pediátrica.

Dos 3.500 leitos de UTI adulto que São Paulo já tinha, 1.071 foram destinados à Covid-19.

Além disso, o governo abriu convocação pública para contratação de 4.500 leitos da rede privada exclusivos a pacientes com casos suspeitos ou confirmados de Covid-19. Destes, 1.500 são de UTI.

A secretaria pagará uma diária de R$ 1.600 por dia por leitos de UTI, com previsão de um total de 270 mil diárias.

Já para as vagas clínicas, a remuneração será de R$ 1.500 por cinco dias ou mais, com previsão de 108 mil diárias.

A convocação, publicada no Diário Oficial do Estado, tem encerramento previsto para 10 de junho.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.