Descrição de chapéu Coronavírus

Ocupação de UTI para Covid atinge menor patamar desde início de março em SP

Índice de isolamento social sofre leve queda

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

Pela primeira vez desde a primeira semana de março, a taxa de ocupação dos leitos de UTI para Covid-19 no estado de São Paulo ficou abaixo de 80%, de acordo com dados do governo paulista.

Nesta quarta-feira (28), o estado tem 79,8% dos seus leitos ocupados. Há 15 dias (14), eram 86,4%. Um mês atrás (31), essa marca chegou a 89,9%. No dia 24 de março, uma quarta-feira, o estado registrou o recorde de ocupação, com 92,3%.

É a marca mais baixa que o estado atinge desde o dia 6 de março, quando o sistema do governo registrou 79,5% dos leitos ocupados.

Na região metropolitana da capital, a ocupação ficou em 78,1% nesta quarta. Há 15 dias, esse valor era de 84,9%, e um mês atrás, de 88,5%.

O índice de isolamento no estado sofreu uma leve queda. Nesta terça-feira (27), a média de isolamento foi 41%, enquanto na terça passada (20) e retrasada (13) foi 43%.

O congestionamento diminuiu, enquanto o número de pessoas nos ônibus da cidade aumentou.

Nesta terça, a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) registrou 64 quilômetros de lentidão, enquanto na semana passada foram 82 quilômetros. Na semana retrasada, o trânsito foi ainda menor, com 35 quilômetros.

Já nos ônibus da cidade, havia 1,79 milhão de pessoas nesta terça, contra 1,68 milhão na terça passada, ou seja, 110 mil a menos. Há 15 dias, foram 1,6 milhão de passageiros.

Entre os carros circulando nas ruas da cidade, foram 6,3 milhões nesta terça e 6,5 milhões na terça passada. Duas semanas atrás, eram 5,9 milhões.

O estado de São Paulo tem mais de 2,8 milhões de casos confirmados de Covid-19 e 94.656 mortes em decorrência da doença. A taxa de letalidade é de 3,3% no estado e de 2,7% no país.

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.