Diretor institucional, Lugano mantém influência no futebol do São Paulo

Ex-zagueiro ajudou na contratação de dois reforços e sugeriu o nome de Aguirre

Luiz Cosenzo
São Paulo

Diego Lugano, 37, aposentou-se dos gramados no início deste ano, quando foi anunciado como superintendente de relações institucionais do São Paulo. O cargo fora do departamento de futebol do clube não o impediu de influenciar nas decisões da equipe, como escolha de reforços, do técnico e de frequentar o vestiário da equipe.

Assim como fez na maioria das partidas realizadas no Morumbi nesta temporada, ele certamente estará com os jogadores no Morumbi nesta quinta (19), quando o time enfrenta o Atlético-PR, às 19h15, pela partida de volta da quarta fase da Copa do Brasil.

O ex-zagueiro frequenta o vestiário nos momentos que antecedem os jogos ao lado de Raí, diretor de futebol, e Ricardo Rocha, coordenador. Ele conversa com os atletas, principalmente com aqueles com quem tem mais afinidade, mas também com os que se aproximam --sem interferir no trabalho do técnico.

Com o aval de Raí, a influência de Lugano com os membros do departamento de futebol fica mais nítida a cada reforço ou mudança no setor. Ele foi o responsável por indicar e fazer os primeiros contatos com o compatriota Diego Aguirre, contratado para substituir Dorival Júnior.

Lugano posa para a foto durante entrevista - Avener Prado/Folhapress

"Pelo meu conhecimento, por conhecer muito bem o perfil do São Paulo, dos jogadores, eu obviamente falei para o Leco e para o Raí que o Aguirre era a pessoa ideal, e acho que foi uma decisão unânime", disse o dirigente.

Antes, porém, foi um dos defensores da permanência de Dorival. Durante os encontros com os demais diretores após a derrota para o Ituano por 2 a 1, em Itu, pelo Paulista, ele disse que não era hora trocar o técnico da equipe.

A mudança no comando, no entanto, aconteceu três jogos depois, quando os diretores sentiram que o time não apresentava evolução.

Lugano também avaliou positivamente e conversou pessoalmente com dois dos nove reforços contratados pelo clube para a temporada: o meia Nenê, 36, e o atacante Gonzalo Carneiro, 22.

O ex-zagueiro convenceu o primeiro ao explicar o dia a dia do time e a possibilidade de assinar contrato por duas temporadas --tinha vínculo com o Vasco, sua antiga equipe, até o final deste ano.

Ele tem amizade com o meia desde 2011, quando jogaram juntos no Paris Saint-Germain.

Já Carneiro era um atleta que o São Paulo observava desde janeiro. Assim que assumiu a nova função, Lugano soube do interesse, buscou informações sobre o compatriota e aproveitou uma viagem para o Uruguai para conversar com o jogador, que tinha contrato até julho com o seu ex-clube, o Defensor.

Com as referências positivas, a equipe do Morumbi desembolsou R$ 2,5 milhões pelo atacante, que não joga desde novembro por causa de uma pubalgia. O reforço assinou contrato de três anos.

Na convivência com o departamento de futebol, Lugano também foi contrário a decisões tomadas pelo clube. No final do mês passado, ele não quis que Aguirre recebesse Carille no vestiário do Itaquerão antes do segundo jogo da semifinal do Estadual

O uruguaio ficou incomodado com a reação do treinador corintiano, que levou a público o fato de Aguirre não cumprimentá-lo antes do início da primeira partida.

De acordo com pessoas próximas, Lugano é visto no São Paulo como um complemento de Raí, que tem um estilo mais sensato. Já o uruguaio se expõe mais.

No início de março, por exemplo, incentivou o treino aberto aos torcedores, o que não estava previsto pela comissão técnica, na véspera do duelo contra o Palmeiras.

A influência e a presença com frequência no futebol não era esperada nem pelo próprio ex-zagueiro. Em fevereiro, em entrevista à Folha, revelou que pediu para ficar mais afastado do setor.

"Tenho sido consultado sobre o futebol e participo de algumas coisas, mas não é a minha principal função. Eu mesmo pedi para que não fosse. Eu queria sair da minha rotina diária, que tive durante 20 anos, com o intuito de aprender mais, de ter outro ponto de vista", disse.

Ele também exerce sua função: representou o time em sorteio da Copa do Brasil, viajou com o sub-20 para a Libertadores, além de receber comitivas internacionais, mas nada comparado com a sua contribuição no futebol.

CLUBE PRECISA VENCER POR DOIS GOLS PARA AVANÇAR

O São Paulo precisa de uma vitória por dois gols de diferença contra o Atlético-PR, nesta quinta (19), às 19h15, para avançar diretamente para as oitavas de final da Copa do Brasil.

O placar, porém, só foi obtido uma única vez nos sete jogos com Aguirre como técnico --contra o São Caetano no jogo de volta das quartas do Paulista. 

Desta vez, necessita ganhar por dois gols em razão do revés por 2 a 1 no jogo de ida, em Curitiba. Se vencer por um de diferença, a definição da vaga nas oitavas será nos pênaltis.

NA TV
São Paulo x Atlético-PR
19h15 Fox Sports 

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.