Sem sustos, Brasil bate Egito em estreia no Mundial de vôlei

Seleção enfrenta a França, vice-campeã da Liga das Nações, nesta quinta

Seleção masculina de vôlei Kadu
O ponteiro Kadu consegue superar o bloqueio do Egito para fazer mais um ponto para a seleção brasileira - Divulgação/FIVB
São Paulo

A seleção brasileira masculina de vôlei estreou com vitória no Campeonato Mundial. Nesta quarta-feira (12), em Ruse, na Bélgica, a equipe treinada por Renan Dal  Zotto passou sem dificuldades pelo Egito, por 3 sets a 0, com parciais de 25-17, 25-22 e 25-20, em 1h23min de partida.

O ponteiro Douglas Souza e o oposto Wallace foram os destaques ofensivos do Brasil na partida, com 12 pontos cada.

Após sobrar no primeiro set, o Brasil diminuiu o ritmo nas parciais seguintes, mas ainda assim não correu riscos. A maior dificuldade encontrada foi passar pelo bloqueio dos egípcios, que marcaram nove pontos no quesito. Em compensação, os erros de ataque do adversário renderam 25 pontos aos brasileiros no duelo.

Para a estreia no Mundial, a formação inicial do Brasil foi composta por Bruninho, Isac, Lucão, Wallace, Douglas Souza, Kadu e Thales (líbero).

Diante do adversário mais fraco do Grupo B, o Brasil conseguiu dosar forças para encarar uma das pedreiras que terá pela frente na primeira fase da competição: a França, atual vice-campeã da Liga das Nações. O jogo será nesta quinta-feira (13), às 14h30 (de Brasília), também em Ruse.

Pela primeira vez na história, o Mundial de Vôlei está sendo disputado em duas sedes: Bulgária e Itália. Além de egípcios e franceses, a seleção brasileira enfrentará Canadá, Holanda e China na primeira fase, em que os 24 times foram divididos em quatro grupos, com todos se enfrentando dentro da chave.

Os quatro melhores países de cada divisão avançam à segunda fase, na qual serão redistribuídos em quatro grupos. As finais do Mundial serão em Turim, na Itália.

Atual vice-campeão, ao ser derrotado pela Polônia na decisão em 2014, o Brasil tentará o quarto título do Mundial - levantou o troféu em 2002, 2006 e 2010.

UOL
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.