Conselheiro pede afastamento do Santos após enviar mensagem racista

Adilson Durante Filho também era secretário-adjunto de turismo de Santos

São Paulo | UOL

Adilson Durante Filho pediu renúncia do cargo de conselheiro e afastamento definitivo do quadro associativo do Santos. Ele teve um áudio com citações racistas vazado em grupos de mensagens. A declaração revoltou os santistas que pediram providências por parte do clube e, no Twitter, subiram a hashtag #ExpulsaORacista até os Trending Topics (assuntos do momento) do Brasil.

Na sexta (19), ele também pediu exoneração do seu cargo na Prefeitura de Santos. Ele era secretário-adjunto de Turismo. Durante Filho assumiu a autoria do áudio e ponderou que ele era "de alguns anos atrás".

O conselheiro do Santos Adilson Durante Filho teve um áudio vazado em grupos de mensagens - Reprodução

"Sempre que tiver um pardo, o pardo o que que é, não é aquele negão, também não é o branquinho. É o moreninho, da cor dele. Desses caras, tem que desconfiar de todos. Todos que tu conhecer. Essa cor é uma mistura de uma raça que não tem caráter. É verdade, isso é estudo", disse Durante Filho no áudio. "Todo pardo, todo mulato, tu tem que tomar cuidado. Não mulato tipo o Pedro, o Pedro é tipo índio, tipo chileno, essas porras. Estou dizendo mulato brasileiro, entendeu, dos pardos brasileiros. São todos mau caráter. Não tem um que não seja", completou.

Em nota oficial, o Santos afirmou que o clube sempre foi "um dos símbolos mais fortes do combate ao racismo" e afirmou "absoluto repúdio a qualquer forma de discriminação ou racismo".

Paulo Alexandre Barbosa, prefeito de Santos, também se posicionou por meio de nota oficial e pediu "esclarecimentos devidos decorrentes da sua manifestação". Ele também repudiou manifestações "que defenda ou propague preconceitos".

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.