Descrição de chapéu Campeonato Brasileiro

Entenda a polêmica e os novos desdobramentos sobre o Brasileiro de 1987

STF deu ganho de causa ao Sport em 2018, mas Flamengo agora quer se juntar a ele

São Paulo

O título do Campeonato Brasileiro de 1987 ainda é um assunto que, mesmo após mais de 30 anos, parece não ter fim. Especialmente para os flamenguistas.

Nesta terça-feira (23), a Folha informou que a Justiça do Rio de Janeiro agendou para junho uma audiência de conciliação entre o clube carioca e a CBF (Confederação Brasileira de Futebol).

Taça das Bolinhas, troféu que está em posse da Caixa Econômica Federal
Taça das Bolinhas, troféu que está em posse da Caixa Econômica Federal - Estefan Radovicz/Folhapress

O Flamengo quer que a conquista do Troféu João Havelange daquele ano, também chamado Módulo Verde e equivalente à primeira divisão nacional na ocasião, seja equiparado ao título brasileiro.

Dessa forma, o ano de 1987 teria dois campeões nacionais, já que o STF decretou em 2018 o Sport como legítimo detentor do título da Copa União.

Como era o campeonato de 1987? Sem dinheiro para organizar o Campeonato Brasileiro, os principais times do Brasil formaram o Clube dos 13, que organizou a Copa União. Na sequência, porém, a CBF resolveu fazer um torneio com os clubes que ficaram de fora. Assim, as equipes foram divididas em dois módulos, o Verde (Clube dos 13) e o Amarelo (equipes reunidas pela CBF).

Por que se deu a polêmica? Flamengo e Internacional, campeão e vice do Módulo Verde, não queriam jogar um quadrangular final com campeão e vice do Módulo Amarelo, Sport e Guarani, respectivamente. O problema é que, na reunião para definir o regulamento, Eurico Miranda, então representante do Clube dos 13 na CBF, assinou a favor da realização do cruzamento entre os módulos.

Houve o cruzamento? Não. Em 1988, com a recusa dos clubes do Módulo Verde, Sport e Guarani decidiram fazer uma nova decisão do Módulo Amarelo. Após empate de 1 a 1 em Campinas e vitória por 1 a 0 no Recife, os rubro-negros foram declarados pela CBF como os campeões de 1987.

Como o caso se desenrolou nos tribunais? Em 1994, uma decisão da Justiça de Pernambuco reconheceu o Sport como único campeão de 1987. Em 2011, a CBF publicou uma resolução reconhecendo o Flamengo como campeão daquele ano. Em 2014, o STJ (Superior Tribunal de Justiça) anulou a resolução e, em 2017, o STF negou recurso do Flamengo e declarou o Sport como legítimo campeão. Em março de 2018, a maioria dos ministros do STF deu ganho de causa aos pernambucanos.

O Flamengo ainda pode recorrer da decisão do STF? Não. A decisão transitou em julgado, o que significa que estouraram todos os prazos legais para que o Flamengo tentasse reverter a derrota nessa esfera. O processo já teve a sua baixa definitiva efetuada e não cabe mais discussão quanto ao título brasileiro do Sport. O Flamengo agora busca que o Poder Judiciário o reconheça também como campeão brasileiro.

E a Taça das Bolinhas? Em 2007, o São Paulo conquistou seu quinto Campeonato Brasileiro na história e reivindicou a Taça das Bolinhas, que seria entregue de forma permanente ao clube que conseguisse o tricampeonato consecutivo ou o quinto alternado. O Flamengo alega que, contando o título de 1987, teria conquistado sua sexta taça nacional em 1992 e, portanto, seria o merecedor do troféu. A taça está hoje em posse da Caixa Econômica Federal e, com a decisão do STF em 2018 sobre o título do Sport, deverá ser entregue ao clube do Morumbi, que quer contar com o troféu em sua galeria.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.