Jornalista Juarez Soares morre aos 78 anos em São Paulo

China, como era conhecido, trabalhou na Band, Globo, SBT e Rede TV

São Paulo

O jornalista Juarez Soares, também conhecido como China, morreu aos 78 anos, no começo da tarde desta terça (23) na Santa Casa de Misericórdia, em São Paulo. Ele sofreu uma parada cardiorrespiratória e será enterrado no cemitério da Consolação nesta quarta (24), às 16h.

Ana Júlia de Grammont, uma das filhas de Soares, disse que o pai sofria com câncer na região do reto. 

"Ele cumpriu a quimioterapia, batalhou pela vida, mas pegou uma infecção de garganta e ficou bem fraquinho, chegou a ser internado duas vezes na semana passada e voltou para casa nesta segunda. Mas estava debilitado, teve essas duas paradas e acabou falecendo", disse a filha, que também é jornalista.   ​

Soares nasceu em São José dos Campos, na região do Vale do Paraíba, no dia 16 de julho de 1941. Começou a carreira em 1958 na Rádio Cultura de Lorena, no interior paulista, até que em 1961 mudou-se para São Paulo. O jornalista ganhou fama como repórter e comentarista na TV Globo entre 1974 e 1982.
 

O jornalista esportivo Juarez Soares durante trabalho recente na RedeTV! - Divulgação/RedeTV!

China atuou no SBT, Bandeirantes e Record. Por último, participou do programa Bola na Rede e de transmissões esportivas da Rede TV.

"O China sempre estava sorridente e gostava de provocar", lembra Fernando Fontana, colega do jornalista na Rede TV.​

Ao longo da carreira, Soares trabalhou em Copas do Mundo e Olimpíadas. A primeira cobertura foi no Mundial da Alemanha, em 1974, pela Rádio Globo. Após o Mundial, ele foi para a TV Globo onde comentou ao lado do narrador Luciano do Valle. Na emissora carioca, ele esteve nos Jogos de Montreal, no Canadá, em 1976, e nas Copas de 1978, na Argentina, e 1982, na Espanha.

Na Band, atuou por 11 anos e esteve novamente com Valle. Foi diretor de Esportes da emissora e esteve nas Copas de 1986 [México], 1990 [Itália] e 1994 [Estados Unidos]. Nessa última, Soares teve companhia de Rivellino e Tostão, colunista da Folha.

Além do jornalismo esportivo, atuou na política. Filiado ao PT, foi sexto vereador mais votado em São Paulo, na eleição de 1988, e secretário de Esportes de São Paulo na gestão de Luiza Erundina, na época no PT, prefeita entre 1989 e 1992. Na eleição municipal de 2004, Soares, que havia deixado o Partido dos Trabalhadores, foi candidato a vice-prefeito na chapa de Paulinho da Força, do PDT.

Em nota, o Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo (SJSP), em conjunto com a Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), recorda a trajetória de Soares, inclusive como segundo secretário do SJSP entre 1984 e 1987, e lamentou a morte. “Manifestamos nossa solidariedade aos parentes e amigos do jornalista.”

Soares era casado com Helena de Grammont, também jornalista. Ele deixa quatro filhas, dois enteados e quatro netos. 

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.