Patrocinador do Palmeiras e Mustafá disputam R$ 430 mil na Justiça

Dono da Crefisa diz ter emprestado dinheiro a entidade de ex-presidente

Alex Sabino Diego Garcia
São Paulo

Antigos aliados que se tornaram inimigos na política interna do Palmeiras, o ex-presidente Mustafá Contursi e a conselheira Leila Pereira, provável candidata à presidência do clube em 2021, disputam R$ 430 mil na Justiça.

Leila Pereira é presidente da Crefisa, patrocinadora palmeirense, e mulher de José Roberto Lamacchia, dono da empresa. Ele processa o Sindicato do Futebol (Sindicato Nacional das Associações de Futebol Profissional e suas Entidades Estaduais de Administração e Ligas), criado e presidido por Contursi, por causa da quantia. 

A 32ª Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça de São Paulo deu parecer favorável ao sindicato nesta quinta (18). Foi uma decisão em segunda instância. Em primeira, Lamacchia havia vencido.

Leila Pereira, conselheira do Palmeiras e presidente da Crefisa, em entrevista à Folha
Leila Pereira, conselheira do Palmeiras e presidente da Crefisa, em entrevista à Folha - Rafael Hupsel-28.nov.18/Folhapress

O dinheiro foi repassado por Lamacchia ao sindicato em maio de 2017. A entidade presidida por Contursi alega ter sido uma doação. Para o empresário, foi um empréstimo. Ele entrou com processo pedindo a devolução do dinheiro, acrescido de juros.

"Inicialmente, o réu havia se comprometido a quitar o empréstimo após alguns meses, tão logo fosse solicitado pelo autor. Passados cerca seis meses, o autor passou a exigir do réu a quitação do empréstimo, tal qual as partes haviam avençado, inicialmente, em conversas realizadas. No entanto, o réu não pagou o valor devido, e tampouco justificou a impossibilidade de fazê-lo", diz o texto do processo, ao qual a Folha teve acesso.

Contursi não quis comentar o assunto. A pessoas próximas, ele disse que há troca de e-mails para comprovar ter sido uma doação pela relação próxima que tinha com o dono da Crefisa e Leila Pereira. Ela e Lamacchia jamais teriam, segundo ele, manifestado contrariedade pela não devolução da quantia e decidiram entrar na Justiça sem conversar com o sindicato.

Mustafá Contursi foi presidente do Palmeiras de 1993 a 2005
Mustafá Contursi foi presidente do Palmeiras de 1993 a 2005 - Keiny Andrade-16.mar.17/Folhapress

"O sindicato tem sua arrecadação e despesas submetidas ao conselho fiscal [de entidade], sendo impossível que o representante legal recebesse empréstimo ou acordasse restituição de valores sem qualquer instrumento particular, e, ainda, sem assinatura conjunta do diretor financeiro ou tesoureiro. É impossível acreditar que caso fosse empréstimo, Lamacchia como banqueiro não fizesse contrato”. explica Soares, Ailton Soares de Oliveira, advogado que representa o sindicato.

Ele alega que de acordo com o artigo 541 do Código Civil, a doação verbal é considerada válida se for de pequeno valor, o que seria o caso, segundo ele, se considerado o patrimônio de Lamacchia. 

“Diante do ordenamento jurídico e o baixo valor configurasse pelo patrimônio do doador; e trata-se de um dos homens mais ricos do Brasil, sendo assim de pequeno valor em relação a seu patrimônio pessoal. O Tribunal reformou a decisão reconhecendo a doação”, destaca Oliveira.

Por meio de sua assessoria de imprensa, Leila Pereira afirma que a decisão da Justiça tem de ser respeitada, mas que cabe recurso e este será apresentado. Ela reafirma ter sido um empréstimo, não doação, e que isso está comprovado na ação.

Mustafá Contursi foi padrinho do processo que tornou Leila Pereira conselheira do clube, apesar das contestações da oposição. Adversários do ex-presidente afirmavam que ela não tinha tempo de associada suficiente para concorrer o cargo. 

Os dois romperam em 2018. O pano de fundo para a briga foram as pretensões políticas de Leila e ingressos para jogos no Allianz Parque que pertenciam à Crefisa. Estes eram repassados a Mustafá e acabavam nas mãos de outros torcedores, que os revendiam. O caso está na Justiça. 

Desde então, Contursi é rival de Leila-Lammachia-Crefisa no Palmeiras. Em maio de 2018, ela derrotou Mustafá em projeto no Conselho Deliberativo que ampliou o mandato presidencial de dois para três anos, com direito a reeleição. Isso abriu as portas para que ela possa se candidatar ao cargo máximo do clube em 2021.

A Crefisa é patrocinadora do Palmeiras desde 2015. Na renovação de contrato, fechada no início deste ano, o clube vai receber cerca de R$ 80 milhões por ano apenas para estampar a marca na camisa. 

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.