Tóquio apresenta robôs trabalhadores da Olimpíada

Máquinas poderão ser vistas em campos de atletismo buscando dardos e martelos

Naomi Tajitsu
Tóquio (Japão) | Reuters

Carros em miniatura dirigidos por controle remoto se mostraram populares em todos os eventos de arremesso nos Jogos Olímpicos, mas para a Olimpíada de Tóquio, em 2020, a Toyota está subindo de nível com uma nova forma de buscar lanças e martelos: carros-robôs autônomos.

A montadora japonesa anunciou nesta segunda-feira (22) um protótipo de seu robô de apoio de próxima geração para ser usado nos Jogos de Tóquio. O veículo, do tamanho de um carro de brinquedo, pode andar a uma velocidade máxima de 20 km/h, possui três câmeras e um sensor de direção.

Usando inteligência artificial, ele é capaz de calcular o trajeto mais curto e rápido até os objetos arremessados pelos atletas, guiando os oficiais do evento nas modalidades de arremesso.

Os projéteis, que podem pesar até oito quilos no caso dos martelos, são presos no veículo pelo voluntário. Basta o clique de um botão para enviá-lo de volta para os atletas.

“Os humanos são mais adequados para pegar equipamentos pesados, mas para transportá-los rapidamente para seus respectivos depósitos é um trabalho que é mais bem realizado por robôs”, disse Takeshi Kuwabara, gerente de planejamento de projetos que supervisionou o desenvolvimento do robô de campo.

Uma das principais patrocinadoras dos Jogos de Tóquio, a Toyota também planeja lançar robôs humanoides com funções de realidade virtual. Isso permitirá, aos espectadores que não puderem comparecer aos jogos pessoalmente, assistirem aos eventos e encontrar atletas remotamente, como o T-HR3.

Além dos robôs em campo, foi apresentado o modelo T-TR1, que personifica espectadores à distância e lhes permite explorar todos os cenários dos jogos, como um participante comum.

As mascotes Miraitowa e Someity também ganharam versões robóticas, capazes de interagir com o público nas arenas.

Os Jogos Olímpicos de Tóquio, que começam em julho de 2020, devem servir como uma vitrine mundial para as gigantes de tecnologia mostrarem seus protótipos de robôs, veículos autônomos e tecnologias de comunicação ultrarrápidas.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.