Não poderia ter feito mais, diz Federer após ser chamado de egoísta

Suíço se defendeu após tenistas passarem mal nas qualificatórias do Australian Open

São Paulo

Criticado por outros tenistas e chamado de "egoísta", Roger Federer defendeu sua conduta durante a fase qualificatória para o Australian Open. A primeira rodada da chave principal, com a participação dele, começa neste domingo (19).

O suíço de 38 anos, maior vencedor de torneios de Grand Slam entre os homens (20 títulos), ouviu reclamações de que não apoiou os colegas que participavam das fases de classificação, em que tenistas de pior ranking buscam vaga entre os principais nomes do esporte.

Roger Federer em entrevista antes de sua estreia no Australian Open, marcada para este domingo (19)
Roger Federer em entrevista antes de sua estreia no Australian Open, marcada para este domingo (19) - Manan Vatsyayana/AFP

A organização do torneio fez com que as partidas fossem adiante apesar da fumaça provocada pelos incêndios que acontecem na Austrália desde novembro e da má qualidade do ar. Apenas após muita reclamação os jogos foram interrompidos.

A eslovena Dalila Jakupovic  passou mal em quadra e outros precisaram de atendimento. O canadense  Brayden Schnur chamou astros da modalidade, como Federer e o espanhol Rafael Nadal, de egoístas por não terem tomado uma atitude. Dias depois, pediu desculpas.

"Não acho que poderia ter feito mais do que fiz. Não posso entrar na quadra e mandar as pessoas pararem. Todos nos preocupamos uns com os outros", disse Federer, que afirma ter conversado com a organização do Australian Open sobre o assunto e dito a eles que a comunicação precisa melhorar.

Federer, Nadal, Djokovic, Serena Williams e outros tenistas participaram de partida exibição na última quarta (15) para arrecadar recursos a serem usados no combate aos incêndios e para ajudar as vítimas. Segundo os organizadores, foram obtidos quase US$ 5 milhões (cerca de R$ 20 milhões). Antes disso, Federer e Nadal já haviam doado R$ 700 mil para a mesma finalidade.

Embora chuvas que caíram nos últimos dias tenham melhorado o clima, a situação ainda preocupa. O canadense Denis Shapovalov, 13º no ranking da ATP (Associação dos Tenistas Profissionais), disse que não vai entrar em quadra neste domingo à noite (de Brasília) se a qualidade do ar for considerada ruim.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.