Descrição de chapéu Campeonato Paulista 2020

Luxemburgo renasce, ergue nova taça no Palmeiras e vira maior campeão de SP

Comandante chega a nove títulos, supera Lula e bate recorde no Campeonato Paulista

São Paulo

Desde que o ex-jogador Dudu comandou o Palmeiras na conquista do Campeonato Paulista de 1976, só um treinador levou o time ao título da competição. Em mais de 40 anos, apenas Vanderlei Luxemburgo teve a sensação de conduzir a equipe alviverde à taça estadual, algo que ele voltou a experimentar neste sábado (8).

Campeão do torneio de novo, o treinador repetiu os feitos obtidos no clube em 1993, 1994, 1996 e 2008. Ele também levantou o troféu por Bragantino (1990), Corinthians (2001) e Santos (2006 e 2007), com um total de nove triunfos que agora o coloca como líder absoluto entre todos os técnicos que disputaram o certame desde o início do século passado.

Ficou para trás Lula, que era o responsável pelo Santos de Pelé e venceu o campeonato oito vezes nos anos 1950 e 1960. Mais de uma década após seu último êxito, Luxemburgo voltou a terminar o Estadual de São Paulo vitorioso, algo que parecia distante da realidade do fluminense de Nova Iguaçu nos últimos anos.

Pouco a pouco, após a porção mais fértil em resultados positivos de sua carreira, ele foi se distanciando dos grandes clubes do futebol brasileiro. Demitido pelo Sport em 2017, passou quase dois anos sem trabalhar até ser acionado pelo Vasco, liderar uma campanha satisfatória no Campeonato Brasileiro de 2019 e voltar a chamar a atenção do Palmeiras.

“Acho que me rotular como ultrapassado foi uma sacanagem que fizeram comigo. É só no futebol que se fala que o velho está ultrapassado”, disse Luxemburgo, que foi reapresentado na equipe alviverde aos 67 anos e completou 68 em maio. “Estou aqui porque tenho longevidade, experiência e qualidade”, afirmou no reencontro.

Ele logo quis dar sua cara ao time e mexeu em uma peça que causara problemas a comandantes anteriores. Luxemburgo conversou com o veterano Felipe Melo, que chegou em junho aos 37 anos, e o convenceu a trocar a cabeça da área pela defesa, uma possibilidade antes refutada pelo atleta.

O treinador teve tato com o jogador. E foi bem recebido pelos torcedores, que, além da longa lista de triunfos estaduais, tinham na memória as conquistas do Torneio Rio-São Paulo de 1993, em cima do Corinthians, do Campeonato Brasileiro 1993, contra o Vitória, e do Campeonato Brasileiro de 1994, de novo em um duelo com o arquirrival.

As recordações eram bem-vindas, já que os embates com o grande inimigo vinham pendendo bastante para o lado alvinegro. Estava especialmente fresca a lembrança da derrota na decisão do Paulista de 2018, a primeira entre Palmeiras e Corinthians no Allianz Parque, com festa preta e branca na nova casa alviverde.

A conquista de 2020 representa, portanto, uma redenção dupla. Após uma década de dérbis saborosos para o oponente –estão na lista os decisivos dos Brasileiros de 2011 e de 2017–, o Palmeiras voltou a machucar o adversário. E Luxemburgo pôde bradar que tinha razão quando dizia que não estava ultrapassado.

"O maior recado que um treinador pode dar é levantar a taça. Está tudo bem, não estou na bronca com ninguém, só acho que [tem] um pessoal que não acompanha. Saia um pouco do estúdio, do ar-condicionado e veja os treinos para ter embasamento do que fala dos nossos treinos", afirmou após sua mais nova conquista.

Não é que a equipe tenha apresentado um futebol de qualidade refinada, como, por exemplo, sua versão de 1996. Mas o treinador também teve de lidar com dificuldades na construção do time e limitações de orçamento –ainda bem superior ao dos rivais– que seus antecessores não precisaram enfrentar.

Vanderlei Luxemburgo é jogado ao alto pelos palmeirenses após o título
Vanderlei Luxemburgo é jogado ao alto pelos palmeirenses após o título - Nelson Almeida/AFP

Dudu, o principal jogador do clube por cinco anos, foi embora durante o período em que a pandemia do novo coronavírus interrompeu as competições. Luxemburgo, aliás, foi infectado pela Covid-19, mais um obstáculo que precisou encarar em uma jornada improvável para seu nono título paulista.

Esse caminho teve uma derrota para o Corinthians na primeira fase, resultado que deu sobrevida ao adversário no campeonato e reacendeu as críticas à capacidade do comandante alviverde.

Elas ficaram para trás, ou ao menos para depois, agora que o Palmeiras e Luxemburgo são novamente campeões.

*

Técnicos com mais títulos

9 vezes
Vanderlei Luxemburgo

8 vezes
Luis Alonso Peres (Lula)

7 vezes
Osvaldo Brandão

4 vezes
Del Debbio

*

Jogadores com mais títulos

11 vezes
Pepe (Santos)

10 vezes
Pelé (Santos)

9 vezes
Zito (Santos)

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.