Bruno Soares perde final e fica com o vice de Roland Garros

Atual campeão do US Open, brasileiro buscava 2º Grand Slam seguido com Mate Pavic

São Paulo

Não foi desta vez que o tenista brasileiro Bruno Soares, 38, conquistou o título de duplas em Roland Garros.

Em sua primeira final no torneio, ele foi derrotado neste sábado (10), ao lado do croata Mate Pavic, 27, pelos alemães Kevin Krawietz, 28, e Andreas Mies, 30, agora bicampeões em Paris, por 2 sets a 0 (6/3 e 7/5).

Soares e Pavic tinham a expectativa de emplacar dois títulos consecutivos de Grand Slam, já que venceram o US Open há um mês.

A boa campanha no saibro de Paris após o troféu nas quadras duras de Nova York mostrou que a parceria do mineiro com o croata estava realmente embalada, mas os alemães acabaram prevalecendo na decisão. Eles foram os primeiros a repetirem essa conquista nas duplas masculinas em anos consecutivos desde Max Mirnyi e Daniel Nestor, em 2011 e 2012.

Krawietz protagonizou uma história curiosa durante a paralisação do circuito pela pandemia de coronavírus. Ele passou agumas semanas trabalhando como repositor em um supermercado de Munique, até poder voltar a treinar.

Não por necessidade financeira, mas para se manter ativo e viver uma outra experiência no período. "Tive o luxo de converter o meu passatempo na minha profissão. Agora quis viver a experiência de um trabalho normal, como outras pessoas", afirmou à revista alemã Der Spiegel na época.

Kevin Krawietz (à esq.) e Andreas Mies com o troféu de campeões de Roland Garros
Kevin Krawietz (à esq.) e Andreas Mies com o troféu de campeões de Roland Garros - Anne-Christine/AFP

Seu salário era de 450 euros. Pelo título de Roland Garros, dividirá com Mies e sua equipe cerca de 320 mil euros (cerca de R$ 2 milhões).

"Avaliando como um todo, foi mais uma tremenda semana. Hoje fomos dominados pelo Krawietz e o Mies. Não conseguimos impor o nosso jogo, ficamos o tempo inteiro incomodados. O estilo de jogo deles é muito difícil, incomoda. Eles são muito eficientes no saque e colocam muita pressão na gente", disse o brasileiro.

Essa foi a segunda derrota de Soares em cinco finais de Slam nas duplas masculinas. A primeira ocorreu no US Open de 2013, torneio que ele viria a ganhar em 2016 (com Jamie Murray) e 2020.

Seu outro troféu nesse nível foi conquistado no Australian Open de 2016 (também com o britânico). Portanto, vencer neste sábado significaria conquistar pela segunda vez dois Slams no mesmo ano.

O brasileiro, que voltará ao top 10 do ranking mundial com o vice-campeonato, também tem três títulos em duplas mistas, dois no US Open (2012 e 2014) e um no Australian Open (2016). Fez ainda uma final nesse evento em Wimbledon.

O Slam de Londres agora é o único dos quatro em que Soares nunca chegou à decisão nas duplas masculinas, tendo parado nas quartas de final cinco vezes.

Bruno Soares (à esq.) e Mate Pavic durante a final de Roland Garros
Bruno Soares (à esq.) e Mate Pavic durante a final de Roland Garros - Anne-Christine Poujoulat/AFP

O último triunfo brasileiro em Roland Garros, onde Gustavo Kuerten fez história com seu tricampeonato em simples, foi obtido pelo duplista Marcelo Melo em 2015, ao lado do croata Ivan Dodig.

Também neste sábado, na chave juvenil, os brasileiros Natan Rodrigues e Bruno Oliveira acabaram com o vice-campeonato nas duplas. Durante a sua cerimônia de premiação, Soares parabenizou os jovens pelo desempenho. Ambos fazem parte do Time Guga, grupo de tenistas em formação montado pelo catarinense e que conta com orientação, entre outras pessoas, de Bruno Soares.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.