Descrição de chapéu Campeonato Brasileiro 2020

Corinthians empata com Vasco e praticamente rebaixa time carioca para Série B

Equipe cruzmaltina precisa vencer última rodada e tirar saldo de 12 gols de diferença

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

Em partida muito ruim tecnicamente, o Corinthians empatou com o Vasco sem gols neste domingo (21), na Neo Química Arena, está fora da próxima Copa Libertadores e praticamente rebaixou o clube cruzmaltino para a Série B do Campeonato Brasileiro.

Para continuar na primeira divisão, a equipe vascaína, com 38 pontos, tem uma missão quase impossível: precisa vencer a última rodada contra o matematicamente rebaixado Goiás, em São Januário, na quinta-feira (25), torcer por derrota do Fortaleza (primeiro fora da zona de rebaixamento, com 41 pontos), contra o Fluminense, no Maracanã, e ainda tirar uma diferença de saldo de 12 gols em relação aos cearenses.

Andrey, do Vasco, conduz a bola em partida contra o Corinthians, pelo Brasileiro, na Neo Química Arena
Andrey, do Vasco, conduz a bola em partida contra o Corinthians, pelo Brasileiro, na Neo Química Arena - Rafael Ribeiro/Divulgação Vasco

Ou seja, o Vasco está muito perto de cair para a Série B nacional pela quarta vez na história. O time deverá se juntar ao rival Botafogo na próxima temporada, deixando apenas Flamengo e Fluminense como representantes do Rio de Janeiro na elite.

Já o Corinthians não tem mais chances de ir à Libertadores. Com 50 pontos, a equipe não pode mais ultrapassar o Santos (54 pontos), que está em oitavo lugar e empatou com o Fluminense neste domingo, na Vila Belmiro.

Pressionados, Corinthians e Vasco fizeram partida tensa, com jogadores nervosos e poucas oportunidades para ambos os lados.

No primeiro tempo, a melhor chance foi do lateral Fagner, que recebeu de Ramiro dentro da área e chutou forte, obrigando o goleiro vascaíno Fernando Miguel a fazer boa defesa aos 17 minutos.

Já o Vasco assustou a torcida corintiana em chute de Carlinhos, de fora da área, aos 38 minutos, mas parou por aí.

O atacante Léo Natel, que substitui na equipe titular Jô, em má fase, não fez boa partida e comprometeu lances de ataque da equipe corintiana com decisões erradas. O jogador também não conseguiu fazer o papel de pivô, segurando a bola no campo ofensivo. Acabou substituído no começo do segundo tempo.

Na segunda etapa, após as entradas de Cazares e Jô, o Corinthians quase abriu o placar com Fábio Santos, que chutou cruzado e tirou tinta da trave de Fernando Miguel aos 19 minutos. Mas continuou com dificuldades de criação.

O Vasco ainda acertou a trave com Carlinhos, aos 22 minutos, em jogada que pareceu uma tentativa de cruzamento.

Assim como no restante da temporada, o time cruzmaltino sofreu com a falta de criatividade. A equipe tem um dos piores ataques do campeonato, com 34 gols marcados, desempenho apenas melhor que o do Sport, além dos já rebaixados Coritiba e Botafogo.

Na temporada, o Vasco teve bom início de campeonato e chegou a assumir a liderança do Brasileiro na quarta rodada, depois de engatar três vitórias consecutivas. Mas, com dificuldades financeiras e carências em quase todos os setores do elenco, o folêgo vascaíno durou pouco.

Após ser eliminado pelo rival Botafogo na Copa do Brasil, em setembro do ano passado, a equipe de São Januário amargou jejum de oito jogos sem vitória no Nacional.

O mau futebol apresentado fez a equipe carioca trocar de técnico várias vezes na temporada. Quatro treinadores comandaram o Vasco desde o início de 2020: Abel Braga, hoje à frente do Internacional, Ramon Menezes, o português Ricardo Sá Pinto e Vanderlei Luxemburgo.

Já o Corinthians, que ocupou as últimas colocações no primeiro turno, melhorou no campeonato e agora figura no meio da tabela. Na quinta, a equipe enfrentará o Inter, na disputa do título, com o desfalque certo do lateral Fagner, que recebeu o terceiro cartão amarelo neste domingo e cumprirá suspensão. ​

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.