Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
22/11/2007 - 20h09

Walfrido deixa cargo com "indignação"; Múcio diz que não haverá trasmissão de cargo

Publicidade

RENATA GIRALDI
da Folha Online, em Brasília
LÍSIA GUSMÃO
Colaboração para a Folha Online, em Brasília

Desconfortável, o ex-ministro Walfrido dos Mares Guia (Relações Institucionais) passou o dia conversando com assessores e correligionários. A Folha Online apurou que há 15 dias ele havia decidido que deixaria o governo se a Procuradoria Geral da República o denunciasse por envolvimento com o suposto "mensalão tucano". Mas nem por isso hoje conseguiu esconder a indignação.

"Recebi com indignação a notícia que o procurador-geral [Antonio Fernando de Souza] acusou-me de atos que não cometi e sobre os quais jamais fui ouvido. Em nove anos de processo, jamais tive a oportunidade de esclarecer e ser ouvido sobre essas acusações", queixou-se Walfrido, no momento em que era formalizada sua saída.

A Presidência da República organizou um evento rápido e sem formalidades: o porta-voz, Marcelo Baumbach, anunciou a substituição de Walfrido pelo deputado José Múcio Monteiro (PTB-PE) e cedeu o microfone para ambos. Apenas Múcio deu entrevista.

O ex-ministro deixou o salão do Palácio do Planalto logo após fazer um breve pronunciamento. "Decidi afastar-me do cargo para dedicar integralmente à minha defesa judicial. Não cometi nenhum crime, isso ficará provado", disse Walfrido, que pouco olhou para as câmeras dos fotógrafos e cinegrafistas, cumprimentando rapidamente seu substituto com um formal aperto de mão.

Walfrido é denunciado com outros 14 acusados de envolvimento com o mensalão tucano por peculato e desvio de dinheiro público. De acordo com o procurador-geral, o ex-ministro foi "co-autor" nos crimes.

A Presidência não fará uma cerimônia de transmissão de cargo. Segundo Múcio, ele já assumiu a função de articulação política a partir do momento em que foi designado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva para substituir Walfrido. "Estou trabalhando desde o momento em que fui nomeado, não parei", disse ele.

Na vaga de Múcio de deputado federal assumirá Fernando Nascimento (PT-PE).

Acompanhe as notícias em seu celular: digite wap.folha.com.br

Comentários dos leitores
Francisco Silva (358) 20/01/2010 18h45
Francisco Silva (358) 20/01/2010 18h45
Rui,
Mau Político é um Pleonasmo Vicioso. Algo como subir para cima, entrar para dentro ou sair para fora...
sem opinião
avalie fechar
Rui Ruz Caputi Caputi (1912) 19/01/2010 16h41
Rui Ruz Caputi Caputi (1912) 19/01/2010 16h41
Nossos maus politicos são como animais carniceiros comendo nossa carcaça, enquanto não restarem apenas nossos ossos não largarão a mamata. 2 opiniões
avalie fechar
Francisco Silva (358) 19/01/2010 14h19
Francisco Silva (358) 19/01/2010 14h19
Não vi na notícia do mensalão referência ao Gov. José Serra, mas sim ao PT, ao José DIRCEU, Luiz Gushiken, etc.
Eu vejo os desesperados PeTófilos quererem associar tudo de ruim ao nome de Serra, das chuvas (o dobro da média para o período) às mortes pelas chuvas (muito menos do que no Rio de Janeiro - Angra dos Reis e Ilha grande, cidades e estado governados pelo PMDB, aliados do PT), à enchente no Jardim Pantanal, instalado lá há quase 40 anos, ou seja passou por Abreu Sodré, Maluf, Pitta, Jânio, Erundina, Marta, Serra e Kassab (não nesta ordem), em área de invasão, notadamente em cota mais baixa que o rio Tietê. Agora a culpa é do Serra...
Daqui mais um pouco vamos ler comentários afirmando que o terremoto no Haiti foi culpa do Serra...
É cômico o desespero desse pessoal.
10 opiniões
avalie fechar
Comente esta reportagem Veja todos os comentários (3061)
Termos e condições
 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página