Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
20/01/2007 - 09h12

Valor das indenizações de vítimas da cratera deve sair em até 40 dias

Publicidade

DANIELA TÓFOLI
FÁBIO TAKAHASHI
FABIANE LEITE
da Folha de S.Paulo

O secretário da Justiça de São Paulo, Luiz Antonio Guimarães Marrey, estima que o valor das indenizações para as vítimas da cratera do metrô, para as famílias dos mortos ou para os desabrigados, seja estipulado entre 30 e 40 dias.

Todas as indenizações deverão sair juntas, mas cada situação será calculada separadamente, afirma. "Para as vítimas, por exemplo, é preciso calcular a expectativa de vida e o rendimento mensal."

Ontem, o governador de São Paulo, José Serra (PSDB), afirmou, no velório do motorista Reinaldo Aparecido Leite, 40, que o Estado está ajudando as famílias a obter as indenizações, seja disponibilizando a Defensoria Pública, seja contatando a seguradora da obra.

"Estamos ajudando as famílias e eu pedi ao secretário do Planejamento, Francisco Luna, e ao secretário Luiz Marrey que entrassem em contato com a seguradora", disse.

A assessoria de imprensa da Secretaria da Justiça informou que caso o Estado tenha de assumir as indenizações das famílias, não será necessário projeto de lei ou decreto.

A Defesa Civil decidiu não fazer mais vistorias nos imóveis da região atingidos pela cratera até que seja retirada a grua que ainda está no centro do buraco, operação prevista para terminar neste fim de semana.

Até agora, 69 imóveis da região foram vistoriados e, desses, 14 liberados e 55 interditados. Dos 55, três foram demolidos e dez condenados.

Donos de imóveis da região disseram ontem que aguardam desde quinta-feira uma reunião com representantes do Consórcio Via Amarela para tratar sobre as indenizações.

A conversa tinha sido marcada para quinta-feira, mas acabou sendo cancelada, afirma o corretor de imóveis Antônio Manuel Dias Teixeira, síndico de prédio interditado na rua Gilberto Sabino, vizinho ao local do acidente.

"Muito se fala, mas não vieram conversar com a gente. Ninguém ligou até agora", afirmou Teixeira.

Leia mais
  • Após desastre, Serra anuncia inspeção de segurança na linha 4
  • Bombeiros suspendem buscas, mas ainda monitoram desabamento
  • Desabamento de obra recebe ao menos 12 políticos em quatro dias
  • Anônimos movem ações na Justiça sobre o desabamento do metrô
  • Saiba quem são as vítimas do desmoronamento nas obras do metrô

    Especial
  • Leia o que já foi publicado sobre desabamentos
  • Leia a cobertura completa sobre o acidente no canteiro de obras do Metrô
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página