Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
07/05/2003 - 23h54

Em jogo dramático, Santos consegue a classificação nos pênaltis

da Folha Online

A classificação do Santos para as quartas-de-final da Taça Libertadores não poderia ter sido conquistada de forma mais dramática. Depois de abrir o placar, o time sofreu a virada do Nacional ainda no primeiro tempo, conseguiu o empate de 2 a 2 na etapa final e venceu na disputa por pênaltis.

Como na finalíssima do Brasileiro-2002, o atual campeão nacional demonstrou maturidade nos momentos mais complicados da partida desta quarta-feira e manteve o sonho do tricampeonato. O próximo adversário será Deportivo Cali ou Cruz Azul, que empataram em 0 a 0 no primeiro jogo, no México.

Flávio Florido/Folha Imagem

Jogadores comemoram a vaga
após defesa de Fábio Costa

O goleiro Fábio Costa, que falhou no segundo gol dos uruguaios, se redimiu nos pênaltis e terminou como herói da classificação, como na final do ano passado. Ele defendeu três das quatro cobranças do Nacional enquanto o Santos marcou seus três.

"Gostaria de agradecer a torcida. Foi uma das emoções mais fortes da minha vida. Talvez um momento mais gostoso até que o título [do Brasileiro-2002]", disse o goleiro, que antes das penalidades teve seu nome gritado pelos 20 mil torcedores que lotaram a Vila Belmiro.

O jogo

Impondo um forte ritmo no começo do jogo, o Santos deu a impressão que se classificaria com relativa facilidade. A principal arma nos minutos iniciais eram os cruzamentos de Elano, improvisado na lateral-direita no lugar de Reginaldo Araújo.

No primeiro levantamento, aos 5min, Ricardo Oliveira subiu sozinho e cabeceou no travessão. Quatro minutos depois, em jogada semelhante, o atacante se antecipou à zaga uruguaia e marcou.

Depois de abrir o placar o Santos quase aumentou a vantagem. Primeiro com o zagueiro Alex, que cobrou falta com força de longa distância e acertou o travessão. Em seguida, após troca de passes no ataque, Ricardo Oliveira chutou forte para fora, assustando o goleiro Munúa.

O Nacional só começou a jogar aos 33min, quando O'Neill _o melhor do time_ cobrou falta direto e obrigou Fábio Costa a fazer grande defesa.

A surpreendente virada veio em três minutos. Após cobrança de escanteio, Eguren acertou uma linda bicicleta e marcou um golaço aos 38min. Logo a seguir, O'Neill bateu falta direto e Fábio Costa, que colocou apenas um jogador na barreira, não evitou o gol.

A Vila Belmiro, que estava em festa no começo do jogo, ficou em silêncio no final do primeiro tempo. No retorno do intervalo, a torcida passou a incentivar e o time voltou a dominar a partida.

Diego e Robinho tiveram as primeiras boas chances, mas falharam na conclusão. Mas aos 19min o Santos contou com a ajuda de Eguren, que marcou contra, e empatou a partida. No lance, o zagueiro André Luís fez uma carga sobre o uruguaio, que acabou tocando de cabeça contra seu próprio gol.

A equipe da Baixada seguiu pressionando, quase marcou de cabeça com Alex, mas não evitou a disputa por pênaltis. A Vila voltou então a viver momentos de apreensão.

Mas o temor da torcida santista por uma eliminação começou a se diluir quando Fábio Costa defendeu a primeira cobrança, de Peralta. Depois, voltou a entrar em ação ao impedir o gol de Morales. O goleiro Munúa fez para o Nacional, mas Juárez também parou nas mãos de Fábio Costa.

Ao contrário dos uruguaios, os jogadores do Santos estavam com a pontaria afiada e Ricardo Oliveira, Elano e Renato marcaram para levar o clube às quartas-de-final da Libertadores.

SANTOS
Fábio Costa; Elano, Alex, André Luis e Leo; Paulo Almeida, Renato, Nenê (Douglas) e Diego; Robinho e Ricardo Oliveira
Técnico: Emerson Leão

NACIONAL
Munúa; Benoit, Machado, Curbelo e Leites; Scotti, Vanzini (Juarez), Eguren e Morales; O'Neill (Mendez) e Alvez (Peralta)
Técnico: Daniel Carreño

Gols: Ricardo Oliveira, aos 9min, Eguren, aos 38min, e O´Neill, aos 41min do primeiro tempo; Eguren (contra), aos 19min da etapa final
Pênaltis: Ricardo Oliveira, Elano e Renato (S) marcaram; Munúa marcou, e Peralta, Morales e Juárez (N) desperdiçaram
Cartões amarelos: Elano, André Luís, Alex, Ricardo Oliveira, Paulo Almeida (S); Eguren, Benoit, Machado, Curbelo e Peralta (N)
Local:estádio da Vila Belmiro, em Santos
Juiz: Héctor Baldassi (ARG)

Leia mais
  • Assediado, Leão diz que o coração é Santos
  • Vila Belmiro pode ser interditada
  • Ex-goleiro, Leão deu dicas para Fábio Costa antes dos pênaltis
  • Futebol uruguaio mantém pífio desempenho em decisão nos pênaltis

    Especial
  • Taça Libertadores
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página