Descrição de chapéu cinema

Morre Margot Kidder, a Lois Lane dos filmes 'Superman' dos anos 70 e 80

Atriz atuou até o ano passado, normalmente em pequenos papéis

Os atores Margot Kidder e Christopher Reeve em cena do filme "Super-Homem"
Os atores Margot Kidder e Christopher Reeve em cena do filme "Superman" - Divulgação
São Paulo

A atriz canadense Margot Kidder, que interpretou Lois Lane nos primeiros filmes do Super-Homem, entre 1978 e 1987, morreu em sua casa em Livingston, no estado americano de Montana, aos 69 anos.

A casa funerária a cargo dos serviços fúnebres, anunciou nesta segunda-feira (14) a morte da atriz, que aconteceu no domingo (13). A causa da morte não foi divulgada. 

Kidder protagonizou com Christopher Reeve a bem-sucedida série de filmes do Super-Homem. Ao todo, foram quatro longas no papel da intrépida jornalista do Planeta Diário.

A cena em que o Super-Homem resgata em plena queda a jornalista Lois Lane se tornou antológica.
O resgate, que seria o primeiro encontro da dupla que se tornaria um casal, foi considerado por Kevin Feige como "a melhor cena de salvamento na história do cinema" em um evento da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood, no ano passado.

Embora Kidder tenha atuado até o ano passado, toda sua carreira ficou marcada pela personagem da namorada do super-herói.

A notícia da morte de Kidder chegou aos trending topics do Twitter, com cerca de 110 mil mensagens postadas na rede social.

Teri Hatcher, que interpretou o papel de Lane na série "Lois e Clark", postou em seu perfil no Twitter as suas condolências pela morte da atriz.

"Foi um privilégio dividir o papel de Lois Lane com essa atriz maravilhosa. Meu coração está com sua família e seus amigos."

A DC Comics, que detém os direitos do Super-Homem, fez sua homenagem à atriz em sua página na rede.
"Obrigado por ter sido a Lois Lane com quem tantos de nós crescemos. RIP, Margot Kidder."

Mas mesmo a concorrência lembrou a atriz eternizada no papel.

"Descanse em paz, Margot Kidder, a pessoa que garantiu que minha geração soubesse quão incrível era Lois Lane", escreveu Eric Goldman, um dos editores da Marvel.

O resto da carreira de Kidder se desenvolveu sobretudo em papéis pequenos em produções de cinema e televisão, como em "Smallville".

Na série sobre a infância de Clark Kent no Kansas, antes de ser conhecido como Super-Homem, ela interpretou Bridgette Crosby, assistente do doutor Virgil Swann, interpretado por Christopher Reeve, morto em 2004.

Ela também atuou em "The L Word" (2006) e na produção da Broadway "Os Monólogos da Vagina" (2002).
No cinema, ela atuou em "Quando as Águias se Encontram" (1975) e na televisão na série infantil "R.L. Stine's The Haunting Hour".

Kidder lutou contra o transtorno de bipolaridade por anos, condição que a levou à indigência por alguns dias em 1996. Tornou-se, então, ativista na luta contra os transtornos mentais —entre outras causas liberais.

Em 2011, ela foi presa em frente à Casa Branca durante um protesto contra a Keystone Pipeline, dutos petrolíferos que atravessam territórios demarcados dos sioux.

Nascida em 1948 em Yellowknife, no Canadá, Kidder foi casada três vezes, a última com o diretor francês Philippe de Broca (1983-1984). Ela deixa a filha Margaret. Das agências de notícias

AFP
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.