Descrição de chapéu Em 1968

O que é, afinal, a geleia geral desses jovens tropicalistas?

Caetano Veloso, Gal Costa, Gilberto Gil, Tom Zé, entre outros, lançam o disco 'Tropicália ou Panis et Circensis'

Caetano Veloso e Gilberto Gil em foto de 1968, ano em que foi lançado ‘Tropicália ou Panis et Circensis’, que se tornou um clássico da música brasileira  Divulgação

Naief Haddad
julho de 1968

​​"Um poeta desfolha a bandeira / E eu me sinto melhor colorido / Pego um jato, viajo, arrebento / Com o roteiro do sexto sentido / Faz do morro, pilão de concreto / Tropicália, bananas ao vento."

Com versos como esses, da música "Geleia Geral", de Gilberto Gil e Torquato Neto, o aguardado álbum dos tropicalistas chega finalmente às lojas brasileiras.

"Tropicália ou Panis et Circensis" traz tantas inovações nos arranjos, melodias e letras que não será uma surpresa se for lembrado como um disco histórico daqui a 50 anos.

O álbum reúne músicos muito jovens, todos na casa dos 20 anos —a exceção é o baiano Tom Zé, com 31. Da Bahia, aliás, vem a maior parte deles: Caetano Veloso, Gilberto Gil, Gal Costa e José Carlos Capinam. Há também o piauiense Torquato Neto e a capixaba Nara Leão.

Entre os paulistas, ainda mais jovens, estão Rita Lee, Arnaldo Baptista e Sérgio Dias, que formam a banda de rock Os Mutantes.

Os arranjos e a regência ficam a cargo do carioca Rogério Duprat, alguns anos mais velho que os demais, embora tão irreverente quanto eles.

Esse álbum coletivo é uma síntese do que jornais e TVs têm chamado de tropicalismo. Do que se trata, afinal?

Embora tenha dado seus primeiros sinais para o público há um ano, em 1967, o movimento já pode ser considerado uma ruptura na história da música brasileira.

Tropicalismo não é canção de protesto, associada a nomes como Chico Buarque e Edu Lobo. Não é jovem guarda, embora Caetano e cia. adotem as guitarras como faz a turma de Roberto Carlos. Tampouco é bossa nova, apesar da admiração dos jovens baianos por João Gilberto.

Os tropicalistas assimilam a influência estrangeira, especialmente a vertente psicodélica de Beatles, Jimi Hendrix e Janis Joplin. Por outro lado, valorizam gêneros da música brasileira considerados ultrapassados, como o bolero.

Outras referências são o concretismo, de poetas como os irmãos Augusto e Haroldo de Campos e Décio Pignatari, e a vanguarda da música erudita, de maestros como Júlio Medaglia, além de Duprat.

Essas características e outras mais estão nas 12 músicas do álbum recém-lançado.

"Parque Industrial", de Tom Zé, e "Geleia Geral" cumprem um papel mais claro de manifestos tropicalistas |1|.

Com citações do "Hino Nacional" e do jingle do analgésico Melhoral, "Parque Industrial" comenta o mercado de consumo em chave irônica. O arranjo de Duprat lembra as marchinhas de coreto.

As referências de "Geleia Geral" vão do poema "Canção do Exílio", de Gonçalves Dias, ao "Manifesto Antropófago", de Oswald de Andrade. É uma fusão de rock e baião.

"Baby" consegue a proeza de dialogar com a bossa nova e a jovem guarda. Caetano a compôs para a sua irmã Maria Bethânia, mas ela desistiu do projeto dias antes da gravação |2|. No novo disco, as interpretações são de Gal e do próprio Caetano.

Os dois mais Gil e Os Mutantes participam de "Bat Macumba", faixa embalada pela percussão. É evidente a ligação da poesia concreta com o tropicalismo nessa música composta por Caetano e Gil.

Também é de autoria deles "Panis et Circensis", ao som dos Mutantes. Na introdução, ruídos de pratos e talheres simulam um jantar em família.

O disco também faz incursões ao passado da música brasileira, ora em viés dramático ("Coração Materno", de Vicente Celestino), ora em tom religioso ("Hino ao Senhor do Bonfim", de Artur de Sales e João Antônio Wanderley).

O resultado não seria tão potente sem a paciência e o cuidado do produtor Manoel Barenbein. A ideia inicial previa a participação de cada um dos tropicalistas em duas faixas, mas os músicos se reuniram e mudaram essa divisão, misturando as interpretações.

Arnaldo Baptista, dos Mutantes, chegou com febre alta ao primeiro dia das gravações em São Paulo, e o início dos trabalhos foi adiado.

As intempéries, no entanto, não prejudicaram o resultado. O disco representa o ápice da vertente musical do movimento tropicalista |3|, que já havia chamado a atenção no festival da Record, em 1967 |4|.

A cultura brasileira não será a mesma depois das "bananas ao vento".


FOLHA PUBLICA SÉRIE SOBRE 1968

Reportagens relatam, como se tivessem ocorrido nos dias de hoje, fatos que marcaram ano de mudanças


|1| "Tropicália", de Caetano, também é uma canção-manifesto do movimento. Apesar do nome, a música não integra o álbum coletivo. Foi lançada quatro meses antes, em março de 1968, no disco "Caetano Veloso".

|2| Embora tenha acompanhado a ascensão tropicalista, Maria Bethânia decidiu não participar do projeto, como explica o jornalista Carlos Calado no livro "Tropicália - A História de uma Revolução Musical" (editora 34). Dois anos antes, contra a sua vontade, a cantora passou a ser considerada "musa da canção de protesto", o que a tornou avessa a qualquer tipo de movimento musical.

|3| O movimento tropicalista abarcou outras manifestações culturais além da música. No teatro, houve "Rei da Vela", montagem de texto de Oswald de Andrade pelo Oficina. No cinema, "Terra em Transe", de Glauber Rocha. Nas artes visuais, as criações de Hélio Oiticica.

|4| No 3º Festival de MPB da TV Record, em outubro de 1967, em São Paulo, Caetano Veloso lançou "Alegria, Alegria", acompanhado dos Beat Boys. Nesse mesmo evento, Gilberto Gil, junto com os Mutantes, apresentou "Domingo no Parque".


Faixa a faixa

Lado A

1. Miserere Nóbis

Compositores - Capinam e Gilberto Gil

Intérprete - Gilberto Gil

2. Coração Materno

Compositor - Vicente Celestino

Intérprete - Caetano Veloso

3. Panis et Circencis

Compositores - Caetano Veloso e Gilberto Gil

Intérpretes - Os Mutantes

4. Lindoneia

Compositor - Caetano Veloso

Intérprete - Nara Leão

5. Parque Industrial

Compositor - Tom Zé

Intérpretes - Tom Zé, Gilberto Gil, Caetano Veloso, Gal Costa e Os Mutantes

6. Geleia Geral

Compositores - Gilberto Gil e Torquato Neto

Intérprete - Gilberto Gil

Lado B

1. Baby

Compositor -Caetano Veloso

Intérpretes - Gal Costa e Caetano Veloso

2. Três Caravelas (Las Tres Carabelas)

Compositores - Augusto Algueró Jr. e Santiago Guardia Moreu (espanhóis)

Versão para o português - João de Barro, o Braguinha

Intérpretes - Caetano Veloso e Gilberto Gil

3. Enquanto seu Lobo Não Vem

Compositor - Caetano Veloso

Intérpretes - Caetano Veloso, Gilberto Gil e Rita Lee

4. Mamãe, Coragem

Compositores - Caetano Veloso e Torquato Neto

Intérprete - Gal Costa

5. Bat Macumba

Compositores - Caetano e Gil

Intérpretes - Caetano, Gal, Gil e Os Mutantes

6. Hino ao Senhor do Bonfim

Compositores - Artur de Sales e João Antônio Wanderley

Intérpretes - Caetano, Gal, Gil e Os Mutantes


Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.