Descrição de chapéu Crítica

'O Ódio que Você Semeia' é uma espécie de Spike Lee para adolescentes

Filme mistura momentos fofos com uma tensão racial que ameaça explodir em cenas de violência

Thales de Menezes

O Ódio que Você Semeia

  • Quando Estreia nesta quinta (6)
  • Elenco Amandla Stenberg, Anthony Mackie, Russell Hornsby
  • Produção EUA, 2018
  • Direção George Tillman Jr.

Veja salas e horários de exibição

Vários produtos culturais têm suas versões para o público infantil ou adolescente. Apostam numa simplificação do conteúdo e acrescentam aos títulos complementos como "for kids" ou "for teens".

"O Ódio que Você Semeia" é uma espécie de Spike Lee "for teens". Como nos filmes do cineasta, a tensão racial vai crescendo e ameaçando explodir em cenas de violência contundentes. Aquilo que ele faz desde "Faça a Coisa Certa" (1989) até o recém-lançado "Infiltrado na Klan".

Baseado no romance de estreia da ex-rapper Angie Thomas, o enredo acompanha a adolescente negra Starr, interpretada com vigor por Amandla Stenberg. Ao voltar de uma festa com o melhor amigo, Kahlil, que conhece desde a infância, um carro da polícia obriga os garotos a pararem.

Durante a abordagem, o policial acredita que Khalil tem uma arma (o que não é verdade) e dispara contra ele, matando o rapaz. A partir daí, Starr tem que decidir se deve testemunhar contra o assassino, mesmo sabendo que na pequena cidade em que vive há grande chance de que a Justiça tente abafar o caso.

Além da comoção social que a morte do garoto desperta na população negra e periférica do local, há outros elementos para deixar a situação de Starr mais complicada.

Seu pai, Maverick, é um dono de loja com renda suficiente para colocar a menina e seus irmãos menores numa escola paga, esnobe, na parte nobre da cidade, com poucos negros. Starr sabe que se tornar figura principal num julgamento vai comprometer seu futuro no colégio.

Sua mãe quer que ela não se exponha. O pai, que deixa a decisão nas mãos dela, é politizado. Ensina aos filhos os códigos de conduta dos Panteras Negras, grupo socialista surgido nos confrontos raciais nos Estados Unidos da década de 1960.

Mas dá para complicar mais. Kahlil era um passador de drogas iniciante, trabalhando para King, líder do tráfico na área. Anos antes, o pai de Starr era o braço direito do chefão. Sua primeira mulher o largou para ficar com King.

A tensão é redobrada, porque o traficante não quer que a garota seja testemunha, com medo de que ela revele detalhes de sua operação.

Essas relações são apenas o começo de uma trama de discussão moral, conduzida com precisão pelo diretor George Tillman Jr., que divide a carreira entre de militância negra e produções comerciais. Entre elas, episódios da adorada série de TV "This Is Us".

O clima de contagem regressiva para uma possível explosão social é evidente desde o início. E funciona bem. Faltou apenas não ceder a algumas concessões que às vezes atrapalham as chances de colocar o dedo mais fundo na ferida.

"O Ódio que Você Semeia" tem momentos fofos que Spike Lee jamais cogitaria. A coisa certa a fazer era um filme ainda mais tenso e amargo.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.