Descrição de chapéu Rock in Rio

Iron Maiden leva ao palco enorme réplica de um monomotor da 2ª Guerra

Dickinson lembrou que era o quarto Rock in Rio da banda: 'vamos ficar voltando o tempo todo', ameaçou

Ivan Finotti
Rio de Janeiro

Poucos antes da 21h40, o Iron Maiden seu início ao principal show da noite do heavy metal no Rock in Rio, na sexta (4). 

Não apenas Bruce Dickinson e companhia tocaram “Aces High”, faixa de abertura de “Powerslave” (1984), como colocaram uma enorme réplica de um monomotor da Segunda Guerra sobre suas cabeças. 

Show da banda Iron Maiden, no palco Mundo, durante o segundo dia do segundo final de semana do festival Rock in Rio - Eduardo Anizelli/Folhapress

Voando para lá e para cá, com a hélice no bico em movimento, o avião deu lugar para efeitos sonoros na segunda canção, “Where Eagles Dare”, 1983. 

A animação era tanta que os refrões de “2 Minutes for Midnight” e “The Trooper” foram cantados mais alto pelo público do que as caixas de som conseguiam entregar. 

Apesar de ser a atração principal da noite (e com mais tempo disponível no palco), o Iron Maiden preferiu tocar mais cedo, e entrou antes do Scorpions. 

Dickinson lembrou que era o quarto Rock in Rio da banda: 1985, 2001, 2013 e 2019. “Vamos ficar voltando o tempo todo”, ameaçou. 

Com “Revelations”, outra canção dos anos 1980, como foi a maioria das escolhidas para o show, o palco se transformou numa catedral. Perfeito para a reza dos metaleiros para seus deuses do inferno.

No hit máximo “The Number of the Beast”, piras demoníacas tomaram o palco, enquanto milhares gritavam “6-6-6”. 

A entrada da caveira semidescarnada Eddie, flutuando ameaçadora sobre a banda, foi na canção “Iron Maiden”, do primeiro álbum, de 1980. A arena pesou com tanta alegria. 

Às 23h23, o Iron finalizou sua apresentação com “Run to the Hills, outra grande preferida do público, essa de 1982. O público se estendia até a roda gigante, no meio da Cidade Olímpica. 

Em sua saída, soltaram a gravação de “Always Look on the Bright Side of Life”, do filme “A Vida de Brian”, do Monty Python, que diz algo como “Se a vida é engraçada, a morte é uma piada/ Olhe sempre em frente, porque atrás vem gente”. 

Por essa, o Iron Maiden pode acabar no inferno. Ou não?

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.