Em crise, Museu de Arte do Rio dá aviso prévio a todos os funcionários

Segundo administradores da casa, Prefeitura do Rio não faz repasses desde setembro

Fachada do museu, em vidro verde
O Museu de Arte do Rio (MAR) - Divulgação
São Paulo

Os funcionários do Museu de Arte do Rio, o MAR, foram informados que a partir desta segunda-feira (11) estão cumprindo aviso prévio. O plano de demissões pode atingir todos os empregados, mas há possibilidade de reversão desse quadro se a prefeitura efetuar os pagamentos atrasados. 

Embora as exposições e os programas educativos sejam mantidos por recursos de captação e leis de incentivo fiscal, a folha de pagamento de funcionários é paga com verba da prefeitura, que não faz os repasses desde setembro ao Instituto Odeon, organização social que administra o museu há sete anos.

No fim da semana passada, o diretor cultural do MAR disse que estava deixando o cargo. Evandro Salles se demitiu do museu após críticas à Prefeitura do Rio, à qual atribuiu um "profundo desmantelamento de aparatos culturais e artísticos".

Inaugurado pelo então prefeito Eduardo Paes em 2013, como parte do processo de revitalização da zona portuária da capital fluminense, o museu é alvo de disputa entre o prefeito Marcelo Crivella (PRB) e a Fundação Roberto Marinho, parceira de Paes na construção do museu.

Na última sexta (8), o Instituto Odeon enviou um ofício à Secretaria Municipal de Cultura da cidade informando que iniciaria, nesta segunda, as ações de desmobilização, "inclusive procedendo com o aviso prévio de seus funcionários, para a proteção dos direitos trabalhistas dos mesmos", informou a assessoria de imprensa da instituição.

"O início do processo de desmobilização acontece após os consecutivos atrasos no pagamento de parcelas do contrato de gestão, incluindo a parcela de setembro que até o momento não foi depositada. Com isso, não há mais fôlego financeiro para manter o equipamento funcionando."

Segundo nota da Secretaria Municipal de Cultura do Rio, "o aviso prévio é uma medida preventiva adotada pelo Instituto Odeon diante de seus funcionários".

A secretaria diz que está "buscando junto à Secretaria de Fazenda uma solução para equacionar os pagamentos".

"Reiteramos a importância do Museu de Arte do Rio como um dos mais importantes equipamentos da secretaria. E todos os esforços estão sendo feitos no sentido de sanar as questões pendentes e garantir o museu a pleno vapor em 2020."

 

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.