Descrição de chapéu
The New York Times

Há quem pense que Nova York morreu, mas a verdade é bem diferente

Comediante Jerry Seinfeld escreve sobre momento atual vivido pela cidade, em que há resiliência e espírito criativo

Jerry Seinfeld

Ator e humorista americano, trabalhou em produções como 'Seinfeld' e 'Jerry Seinfeld: 23 Hours to Kill'

The New York Times

Quando aluguei meu primeiro apartamento em Manhattan, em 1976, a lei que obriga donos de cachorros a recolher cocô ainda não existia, e as ruas estavam cobertas de cocô de cachorro.

Assinei o contrato de locação, saí na rua e descobri que meu carro tinha sido guinchado. E mesmo assim pensei “esse é o melhor lugar em que já estive na vida”.

Manhattan é uma ilha ao largo da costa americana. Somos parte dos Estados Unidos? Mais ou menos. E estamos enfrentando um dos períodos mais difíceis que tivemos em bastante tempo.

Mas de uma coisa tenha certeza –a última coisa de que precisamos, no meio de tantos desafios, é a choradeira e o resmungo de algum panaca no LinkedIn, se queixando de que “todo mundo foi embora" e quererendo 2019 de volta.

Ah, cala a boca. Imagine estar em uma guerra de verdade com um cara como esse ao seu lado.

Ouvindo-o reclamar de que "costumava jogar xadrez o dia todo, encontrava pessoas, podia criar o negócio que quisesse". Enxugue as lágrimas, limpe o traseiro e se recomponha.

Ele diz que conhece pessoas que trocaram Nova York pelo Maine, por Vermont, pelo Tennessee, por Indiana. Estive em todos esses lugares muitas, muitas, muitas vezes, ao longo de diversas décadas. E com todo o respeito e afeto... Você está... Me... Zoando?!

Ele diz que Todo Mundo foi embora de vez. Como é que você pode afirmar isso? Você se mudou para Miami. Sim, eu também tenho um lugar fora da cidade, em Long Island. Mas jamais vou abandonar a cidade de Nova York. Nunca.

E eu estive no palco em seu clube de comédia, Stand Up N.Y., algumas vezes. O lugar precisa de uma reforma, se você não se incomoda que eu diga. Mas não se preocupe: é algo que você pode fazer de Miami.

Há alguma outra coisa estúpida no artigo, sobre “largura de banda”, e os motivos para que Nova York esteja morta porque as pessoas vão “fazer tudo remotamente”. Mas olha só: todo mundo odeia fazer isso. Todo mundo. Odeia.

E quer saber por quê? Não há energia.

Energia, atitude e personalidade não podem ser "transmitidas remotamente", nem mesmo pela melhor rede de fibra óptica. Essa é a razão para que tantos de nós tenhamos nos mudado para Nova York, para começar.

Você já tentou descobrir por que um lugar como o Vale do Silício existe? Eu sempre imaginei por que toda aquela gente vive e trabalha lá. Afinal, eles dispõem de uma tecnologia insana; por que não se espalham por onde preferem e se conectam por meio de seus aparelhos? Porque isso não funciona, essa é a razão.

Jerry Seinfeld, que brilha no programa 'Comedians in Cars Getting Coffee', em sessão de fotos em Nova York
Jerry Seinfeld, que brilha no programa 'Comedians in Cars Getting Coffee', em sessão de fotos em Nova York - Damon Winter

Energia humana real, inspiradora, viva, existe quando nos coagulamos em lugares loucos como a cidade de Nova York. Ficar se lamentando porque você não pode ir ao teatro por alguns meses não é o elemento essencial de caráter que fez de Nova York o brilhante diamante de atividade que a cidade um dia voltará a ser.

Você encontrou um lar na Flórida? Ótimo. Todos conhecemos o foco aguçado e o espírito criativo resiliente e incansável que caracterizam a Flórida. Você também acha que Roma vai acabar? Londres? Tóquio? O East Village?

Não vão. Esses lugares mudam. Esses lugares se transformam. Se reformam. Porque grandeza é rara. E a verdadeira grandeza de Nova York é mais que rara. É desconhecida. Desconhecida em qualquer lugar que não seja a cidade de Nova York.

Você afirma que Nova York não vai se recuperar, desta vez. Você não vai se recuperar. Na sua nova vida enervada e em tom pastel na Flórida. Espero que você tenha um período bem longo e saudável por lá. Não consigo imaginar uma represália melhor por seu ótimo artigo.

Esse vírus estúpido um dia vai desistir. Como você desistiu.

Mas nós vamos continuar a levar Nova York em frente, se você nos der licença. E a cidade com certeza se recuperará. Por conta de todos os verdadeiros nova-iorquinos, gente batalhadora que, diferentemente de você, compreende a cidade e escolheu ficar para a reconstruir.

Vejo você no clube.

Tradução de Paulo Migliacci.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.