Descrição de chapéu Leitor em Casa

Leitor indica podcast de humor 'Um Milkshake Chamado Wanda'

Folha convida leitores a enviar sugestões de atividade durante o isolamento

Ao longo de três meses, colunistas e blogueiros deram sugestões para o período de quarentena, como livros, filmes e séries.

Agora convidamos vocês, leitoras e leitores, a enviar suas recomendações para enviesuanoticia@grupofolha.com.br.

Informe nome, profissão e cidade onde mora. As melhores dicas serão selecionadas para publicação.

Veja aqui as dicas já publicadas.

Helvécio Dias da Rocha, bancário em Corinto (MG)

Para Ouvir

Um Milkshake Chamado Wanda
Podcast. Disponível semanalmente nas plataformas Apple Podcasts, Google Podcasts, Spotify, Tune In e Deezer.

Logo tipo com milshake de peruca loira e lábios pintados com batom vermelho
Leitor recomenda podcast de humor "Um Milkshake Chamado Wanda" - Divulgação


Um dos mais impagáveis e hilários podcasts do Brasil. Os jornalistas Phelipe Cruz, dono do portal PapelPop, e Samir Duarte, o integrante mais hilário, e a ex-VJ da MTV e esposa do rapper Emicida, Marina Santa Helena, apresentam esse programa semanal. A princípio, o podcast é voltado para o público LGBTQI+, mas aborda tudo quanto é assunto relacionado à cultura pop, questões sociais e temas despretensiosos, indo de relacionamentos abusivos até problemas com vizinhos barulhentos. O podcast é dividido em quadros: o Lotus (referência à fracassada turnê de Christina Aguilera) em que os integrantes lamentam acontecimentos da semana; o Meryl (referência à carreira impecável de Meryl Streep), que é o oposto do Lotus; o Interessantiney, com indicações de filmes, livros, séries e perfis de Instagram e canais de YouTube; e o Me Ajuda Wanda, em que o público envia emails para o programa pedindo conselhos. É o podcast perfeito para, conforme os próprios apresentadores sugerem, dar aquela faxina de fim de semana enquanto se diverte.

Para Ver

Wayne
Série, 2019. Disponível no YouTube Premium, 1 Temporada.


“Wayne” é fidalgal, forte, impagável e, em alguns momentos, melancólica. A série tem aquela pegada “anti-herói”, como os filmes “Deadpool”, acrescida de complexidade e drama, com diálogos perspicazes, direção impecável e humor ácido. As cenas de violência causam a falsa impressão de serem os recursos mais utilizados para fisgar o espectador, porém por serem bem elaboradas e, no contexto, não têm objetivo sensacionalista. O protagonista passa longe do típico garoto depressivo que sai mundo afora em busca de entender a si mesmo. Inconsequente em muitos momentos, a melhor série original do YouTube explora com olhar trágico os perigos de uma sociedade tão egocêntrica.

Para Ler

O Caderno
Ed. Companhia das Letras, 2009. R$ 42,30 (139 págs.), ebook R$29,50

Esta coletânea de crônicas revela uma faceta pouco conhecida do escritor e vencedor do Nobel da literatura José Saramago: a de blogueiro. Essa fase durou um curto período, de 2008 a 2009, e a ideia partiu de sua esposa Pilar. O livro reúne todos os textos que Saramago publicou no extinto blog, abordando desde assuntos climáticos até críticas ao ex-papa Bento 16. Todos os textos seguem a característica consagrada do escritor de usar sua ironia e estrutura únicas, redigindo textos sem uso de parágrafos.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.