Descrição de chapéu jornalismo

Morre Zuza Homem de Mello, referência na pesquisa da música brasileira, aos 87

Jornalista e musicólogo sofreu um infarto enquanto dormia na madrugada deste domingo (4)

São Paulo

Um dos principais pesquisadores da música brasileira, o jornalista paulistano José Eduardo Homem de Mello —mais conhecido como Zuza— morreu em São Paulo na madrugada deste domingo (4). Aos 87 anos, ele teve um infarto agudo do miocárdio enquanto dormia.

Segundo a família, Zuza havia passado o sábado (3) comemorando com a mulher, Ercilia Lobo, seus novos projetos. Entre eles, estavam a biografia do músico João Gilberto, livro que havia finalizado recentemente, e a série “Muito Prazer Meu Primeiro Disco”, com o Sesc São Paulo —o primeiro episódio, com Gilberto Gil, foi lançado neste sábado.

Nos anos 1950, Zuza, que era contrabaixista e amante do jazz, mudou-se para os Estados Unidos para estudar música na School of Jazz em Massachusetts —onde foi aluno do músico Ray Brown—e na Juilliard School of Music, em Nova York. Por lá, frequentou clubes do gênero e assistiu de perto apresentações de ícones como Duke Ellington, Billie Holiday, Miles Davis, Thelonious Monk e John Coltrane.

No período, o jornalista também estagiou na gravadora Atlantic Records como engenheiro de som.

Mas foi no Brasil que o pesquisador e musicólogo marcou a história, com trabalhos com nomes como Elis Regina, Milton Nascimento, Elizeth Cardoso e Jacob do Bandolim e com obras importantes sobre a música brasileira, dentre eles “A Era dos Festivais – Uma Parábola” (2003) e “Copacabana” (2017), em que explora o samba-canção e seus reflexos na música popular brasileira.

Em 2014, também lançou uma coletânea de textos escritos entre 1957 e aquele ano intitulada “Música com Z: Artigos, Reportagens e Entrevistas”.

Em 2019, o documentário Zuza Homem de Jazz, sobre sua trajetória como músico, técnico de som e pesquisador, foi lançado. Filmado em São Paulo, Rio de Janeiro e Nova York, tem direção de Janaína Dalri e fala sobre a influência do jazz na música brasileira, além de traçar um paralelo entre esses dois universos por meio da história de Zuza.

Nas redes, amigos e colegas de profissão lamentaram a morte do musicólogo. O cantor Chico César publicou uma foto ao lado de Zuza no Instagram, agradecendo-o. "Ah, Zuza! Meu amigo, mestre. Grato pela sua vida tão generosamente musical. Fico com seu abraço, seu afeto, sua sabedoria de bem viver em troca e consonância. Ouvidos e coração abertos, é certo. Sempre."

O músico paulistano Mauricio Pereira também fez sua homenagem. "Eu era moleque e ouvia aquele programa que ele tinha na rádio Jovem Pan no fim da tarde que uma aula de música por dia", escreveu. "As ideias, os livros, as produções, os papos bons, os projetos culturais, o incentivo: taí um cara que deixou um legado lindo, grande, generoso, que a gente tem que ir atrás, beber dele, preservar."

O escritor e roteirista Walcyr Carrasco lembrou Zuza no Twitter. "Triste domingo! Perdemos o jornalista e escritor Zuza Homem de Mello, um dos maiores nomes da produção, pesquisa e história musical no Brasil."

Segundo a família, o velório será restrito a família e amigos por causa da pandemia.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.