Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
28/11/2010 - 07h04

Galinha Pintadinha vende 250 mil DVDs e vira hit no YouTube

Publicidade

LAURA MATTOS
DE SÃO PAULO

O fenômeno começou quase sem querer.

Acompanhe a Folha no Twitter
Conheça a página da Folha no Facebook

Dois publicitários de Campinas (93 km de SP) resolveram produzir um clipe infantil com a música "Galinha Pintadinha" (a galinha pintadinha e o galo carijó/ a galinha usa saia e o galo paletó).

É uma animação bem colorida, com traços simples e a letra acompanhada por uma bolinha que pinga em cima das palavras, seguindo a música. A estrela é uma galinha azul, com bolinhas brancas.

Marcaram reunião com um executivo de um canal infantil em São Paulo, mas não conseguiram viajar para trazer o clipe. Colocaram no YouTube e pediram a um representante para abrir o site no encontro. Ao final, a resposta: "Não foi aprovado, podem tirar do YouTube".

Esqueceram de tirar e voltaram aos seus trabalhos. Em poucas semanas, o clipe já havia sido visto meio milhão de vezes. Isso foi em 2005. De lá até agora, o clipe original e outros criados por Juliano Prado, 39, e Marcos Luporino, 40, foram vistos 120 milhões de vezes no YouTube.

Na última quinta-feira, na categoria "filmes e desenhos", havia cinco clipes da Galinha Pintadinha entre os dez mais vistos no mundo.

Veja o clipe da Galinha Pintadinha:

Veja Vídeo

Dois DVDs foram lançados, ambos com canções de domínio público, e venderam mais de 250 mil cópias.

O segundo, da Som Livre (R$ 24,90), saiu neste semestre e vendeu 100 mil em um mês, premiado com disco de platina dupla.

Estão à venda dois CDs com as músicas dos DVDs e um com versão instrumental para bebês. Há clipes para iPad e iPhone, galinha de pelúcia e, em breve, sairão livros e blu-ray. "Achamos que o sucesso tem a ver com a mistura da linguagem moderna da animação com canções tradicionais", diz Prado.

Apesar do sucesso, eles continuam trabalhando num escritório no fundo do quintal de Prado, para onde Luporino vai de bicicleta.

Dizem já lucrar com a galinha, mas têm dificuldades com patrocínio. O segundo DVD teve autorização da Agência Nacional do Cinema para captar R$ 800 mil. Até agora, conseguiram R$ 200 (duzentos reais mesmo, não duzentos mil). "Há preconceito com produtos infantis", diz Luporino.

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página