Amazon pagou U$ 90 mi por tecnologia de câmeras, diz agência

Negócio é estratégia para entregadores deixarem encomendas na ausência do comprador

A Amazon não quis comentar os termos ou a estratégia da aquisição - Reuters
San Francisco

A Amazon pagou cerca de US$ 90 milhões para comprar a fabricante das câmeras de segurança residencial Blink no final de 2017, uma aposta secreta nos chips de baixo consumo de energia da startup, afirma a agência Reuters baseada em entrevistas com fontes ligadas à varejista . 

A lógica e o valor do acordo, até então desconhecidos, sublinham como a Amazon pretende fazer mais do que vender mais uma câmera popular, como os analistas pensavam.

A varejista da internet está explorando chips exclusivos da Blink que podem reduzir os gastos de produção e aumentar a vida das baterias de outros dispositivos, começando por sua Cloud Cam e podendo se estender para sua família de alto-falantes Echo, afirma a agência.

A Amazon vê seus dispositivos de uso doméstico como algo essencial para aprofundar o relacionamento com compradores. Atualmente, a câmera Cloud Cam e os alto-falantes Echo precisam de uma fonte ligada à tomada para funcionar. A Blink, que afirma que suas câmeras funcionam durante dois anos com um simples par de pilhas de lítio pequenas, poderia mudar isso.

A Amazon não quis comentar os termos ou a estratégia da aquisição.

Até agora o negócio atraiu pouca atenção. A fabricante das câmeras anunciou sua venda para a Amazon com poucos detalhes em 21 de dezembro.

Analistas veem a Blink como parte da estratégia da rede varejista para o Amazon Key, novo programa por meio do qual os clientes podem instalar uma fechadura inteligente e uma câmera de segurança para que entregadores possam deixar encomendas em suas casas em sua ausência.

A Amazon também vê oportunidade no mercado de câmeras de segurança à medida que a tecnologia de casas inteligentes se expande.

Mas a Blink não era simplesmente uma empresa de câmeras. Sua proprietária, a pouco conhecida Immedia Semiconductor, foi criada em Massachusetts por veteranos da indústria do chip. Seu diretor-executivo, Peter Besen, e dois de seus cofundadores saíram da Sand Video, que no início dos anos 2000 projetou chips que decodificaram um padrão de vídeo novo e melhor.

Reuters

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.