Descrição de chapéu MPME varejo

Conheça a evolução do varejo do comércio de rua à loja virtual

Fim de venda em balcão revolucionou varejo no passado; agora, tecnologias aceleram mudanças 

Flávia G. Pinho
São Paulo

Ao longo de mais de três séculos, desde o surgimento dos primeiros armazéns no período colonial, o comércio brasileiro passou por uma revolução marcada por grandes saltos.

O primeiro foi o declínio da venda em balcão, que deu ao consumidor a liberdade de escolher sozinho produtos em gôndolas —o chamado autosserviço. 

Esse modelo chegou ao Brasil nos anos 1950, duas décadas depois dos Estados Unidos, onde o sistema se popularizou durante a depressão econômica em 1929.

Agora, é a vez da tecnologia transformar a relação entre vendedores e consumidores.

Desde o ano 2000, quando os brasileiros passaram a ter acesso à internet rápida, a fronteira entre lojas físicas e virtuais vem se tornando mais tênue.


A transformação do varejo no Brasil

1649 
No ano da criação da Companhia Geral do Comércio do Brasil, os estabelecimentos se limitavam a empórios que vendiam itens importados, como vinhos, azeites e farinhas

1808 
Com a chegada da família real, surgem no Rio de Janeiro as primeiras lojas de luxo

1900 
Em São Paulo, a industrialização e a chegada de imigrantes marcam o surgimento das feiras livres, dos vendedores ambulantes e dos armazéns de secos e molhados

1908 
A inauguração das lojas Pernambucanas, primeiro magazine brasileiro, dá início a um novo ciclo para o comércio no país. Nos anos seguintes, há a inauguração da Mesbla (1912) e do Mappin (1913)

Fachada de uma das primeiras lojas da Pernambucanas, com produtos dispostos na calçada e pessoas olhando a câmera
Fachada de uma das primeiras lojas da Pernambucanas, rede fundada em 1908 - Reprodução

1947
O frigorífico Wilson abre a primeira loja sem atendentes em balcões de São Paulo, mas o público rejeita o formato

1949 
A americana Sears chega ao Brasil. A loja é pioneira na venda por catálogo

Fachada da Sears, em São Paulo, prédio branco com decoração natalina e um letreiro onde se lê "Sears Roebuck"
Fachada da Sears, em São Paulo, em 1953 - Folhapress

1953 
Surge o primeiro supermercado brasileiro: o Sirva-se, em São Paulo. A aparência e o autosserviço são similares aos dos supermercados americanos, que já faziam sucesso desde os anos 1920

1966 
É inaugurado o primeiro shopping center do Brasil, o Iguatemi, em São Paulo

1973 
São Paulo ganha seu primeiro atacado de autosserviço, o Makro

1975 
Surge o primeiro hipermercado do país: o Carrefour, em São Paulo. O modelo teve grande impulso anos depois, no período de hiperinflação1992 

1992
O Magazine Luiza lança a primeira loja virtual do Brasil, que funcionava em terminais, ainda sem conexão com a internet 

1995 
O Ministério das Comunicações libera a conexão com a internet para fins comerciais no Brasil, dando início à era do ecommerce. Nos EUA, surgem a Amazon e o eBay

1996 
O empresário Ricardo Jordão Magalhães inaugura o primeiro ecommerce brasileiro: a Brasoftware. No mesmo ano, com a abertura da primeira Saraiva Megastore em São Paulo, ganha força o modelo das lojas especializadas com mais de 1.000 m² de área de vendas

A loja da Brasoftware em imagem de 1996, com uma pessoa no canto esquerdo usando um computador e produtos como CD-ROMs dispostos nas prateleiras
A loja da Brasoftware em imagem de 1996 - Divulgação


2000 
Surge a Banda Larga no Brasil, que permitiu navegação mais rápida e segura, fortalecendo o ecommerce

2015 
A despeito das previsões sobre o fim das lojas físicas, nasce um novo modelo de comércio tecnológico, no qual as plataformas on e offline funcionam de forma complementar


Fonte: “Da Vila às Grandes Cidades – A História do Varejo Nacional”, de Luís Fernando Varotto

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.