Volkswagen começará testes de ônibus híbrido no Brasil em seis meses

Companhia alemã e cervejaria Ambev também concluíram fase de testes do primeiro caminhão elétrico

São Paulo

A Volkswagen iniciará dentro de seis meses os testes de um ônibus híbrido, o E-Flex, com 17 toneladas, possivelmente na cidade de São Paulo, disse nesta terça-feira (13) o presidente da montadora alemã, Roberto Cortes.

De acordo com ele, a brasileira Weg será a fornecedora do motor do E-flex, que será elétrico híbrido e poderá ser abastecido com múltiplos combustíveis.

Cortes ressaltou ainda que a Volkswagen Caminhões e Ônibus está em conversas com centenas de clientes interessados em veículos elétricos, bem como parceiros para o desenvolvimento de infraestrutura e para processo de produção, incluindo a também alemã Siemens.

De acordo com Cortes, o E-flex é um veículo híbrido que carrega a bateria com motor de Golf e entrega 35% mais eficiência que um caminhão a diesel.

Caminhão elétrico

A companhia alemã e a cervejaria Ambev também concluíram a fase piloto de testes do primeiro caminhão elétrico e-Delivery para transporte de bebidas, informaram as empresas nesta terça-feira. Assim como o o E-flex, o e-Delivery é produzido pela Weg.

Pesando 13 toneladas com a carga completa, o veículo 100% elétrico percorreu em 30 dias mais de 900 quilômetros em rotas mais comuns de entrega e distribuição da cervejaria na cidade de São Paulo, com redução de 0,7 tonelada nas emissões de CO2.

Logo da Volkswagen no Salão de Automóveis
Companhia alemã e a cervejaria Ambev também concluíram a fase piloto de testes do primeiro caminhão elétrico - Paulo Whitaker/Reuters

"Já economizamos nos testes 200 litros de diesel”, disse o diretor de sustentabilidade e suprimentos da Ambev, Guilherme Gaia, em evento na capital paulista para apresentar o protótipo.

Segundo Gaia, foram feitas 369 entregas com o e-Delivery, o equivalente a quase 6 mil caixas ou 150 toneladas de produtos, incluindo cervejas e refrigerantes.

A parceria foi anunciada em agosto e prevê o uso de pelo menos 1.600 caminhões elétricos até 2023, de modo que 35% da frota que atende a Ambev seja composta por veículos movidos a energia limpa.

“É o maior compromisso de caminhões elétricos do mundo, já são 1.617 e podem ser mais”, afirmou o vice-presidente de Sustentabilidade e Suprimentos da Ambev, Rodrigo Figueiredo.

Gaia ressaltou que os caminhões elétricos começam a ser entregues em 2020 e servirão para renovação da frota dos operadores logísticos da cervejaria, substituindo veículos comprados entre 2010 e 2012.

De acordo com ele, a companhia também está desenvolvendo junto com a Volkswagen outros modelos de 17 e 24 toneladas, ainda sem previsão de testes.

A parceria faz parte dos esforços da Ambev para desenvolver práticas mais sustentáveis de negócios. Só nos últimos cinco anos, a fabricante de bebidas investiu cerca de 1 bilhão de reais em projetos de sustentabilidade.

Gaia comentou que a cervejaria já foi procurada por outras montadoras após o anúncio do acordo com a Volkswagen e as duas empresas esperam que o movimento desencadeie um "efeito manada" no mercado, especialmente após o governo anunciar programa de fomento ao uso de energia limpa por empresas e pessoas físicas por meio do BNDES.

Questionado se a Volkswagen planejava investir em sua fábrica de Resende (RJ), onde o caminhão elétrico está sendo desenvolvido, o presidente da companhia alemã afirmou que o veículo requer ajustes na linha de produção, o que pode se traduzir em possíveis investimentos.

Reuters
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.