Petrobras espera fechar nesta quarta venda de refinaria polêmica nos EUA

Compra de Pasadena é investigada pela Lava Jato e pela Comissão de Valores Mobiliários

Rio de Janeiro

A Petrobras informou nesta quarta-feira (30) que está prestes a concluir as negociações com a americana Chevron para a venda da polêmica refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos.

O tema deve ser apreciado em reunião do conselho da estatal ainda nesta quarta, disse a empresa. A operação faz parte do plano de desinvestimentos da Petrobras.

Localizada no Texas, a refinaria foi adquirida pela Petrobras em uma negociação que rendeu prejuízo bilionário e é alvo de investigações da Lava Jato. Sua compra é investigada também pela CVM (Comissão de Valores Mobiliários).

A refinaria foi comprada em 2006 sob o argumento de que a Petrobras precisava de um ponto de entrada no mercado americano de combustíveis.

A estatal pagou US$ 360 milhões (cerca de R$ 1,3 bilhão, pela cotação atual) por metade da empresa, quase oito vezes mais do que os US$ 42 milhões (R$ 155 milhões) desembolsados um ano antes pela suíça Astra por 100% do capital.

Após disputa judicial, a Petrobras acabou desembolsando US$ 1,2 bilhão para ficar com todas as ações.

Com a crise financeira, a estatal decidiu reduzir suas operações no exterior e incluir Pasadena em sua lista de ativos à venda.

O processo de venda da refinaria foi aberto em fevereiro de 2018. Para a Chevron, a unidade representa aumento da capacidade de refino do petróleo produzido de reservas não convencionais nos Estados Unidos.

PRÉ-SAL

A empresa americana anunciou também nesta quarta mudança em suas operações brasileiras, com a venda de participação no campo de produção de petróleo Frade, na Bacia de Campos, para focar recursos na exploração do pré-sal.

Nos últimos leilões do governo, a companhia arrematou fatias em seis blocos do pré-sal, em parceria com a Petrobras e outras empresas do setor.

"O pré-sal brasileiro é um recurso de classe mundial", disse, em nota.

A fatia de 51,74% no campo de Frade foi comprada pela Petro Rio, que levou também participação em um bloco exploratório no Ceará.

Vista da refinaria de Pasadena, no Texas (EUA)
Vista da refinaria de Pasadena, no Texas (EUA) - Agência Petrobras
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.