Sob pressão, Google e Facebook aumentam gastos com lobby nos EUA

Tópicos incluem reforma tributária internacional e da justiça criminal e integridade das eleições

San Francisco | Reuters

Lidando com um amplo controle sobre suas práticas, o Google divulgou em comunicado nesta terça-feira (22) que gastou US$ 21,2 milhões em lobby junto ao governo dos Estados Unidos em 2018, superando seu recorde anterior de US$ 18,22 milhões em 2012.

Em documento ao Congresso, o Facebook informou, também nesta terça, que gastou mais em lobby com o governo americano em 2018 do que antes, somando US$ 12,62 milhões. No ano anterior, esse montante havia sido US$ 11,51 milhões, de acordo com monitoramento do Center for Responsive Politics.

O Google gastou US$ 18,04 milhões em lobby em 2017, segundo dados da instituição. 

Google e Facebook se recusaram a comentar o assunto.

Legisladores e reguladores dos EUA avaliaram novas regras de privacidade e antitruste para controlar o poder de grandes provedores de serviços de internet, como Google, Facebook e Amazon. A repercussão regulatória nos Estados Unidos, bem como na Europa e na Ásia, está perto do topo da lista de preocupações de investidores em tecnologia, segundo analistas financeiros.

A Microsoft gastou US$ 9,52 milhões em lobby em 2018, de acordo com seu memorando divulgado na terça, acima dos US$ 8,5 milhões de 2017, mas abaixo dos US$ 10,5 milhões de 2013.

A Apple gastou US$ 6,62 milhões no ano passado, menos que o recorde de US $ 7,15 milhões em 2017, segundo dados do centro.

Apple e Microsoft não responderam a pedidos de comentário. Um comunicado da Amazon era esperado na terça-feira.

O Google divulgou que os novos tópicos de discussão com reguladores no quarto trimestre incluíam sua tecnologia de busca, reforma da justiça criminal e reforma tributária internacional. A empresa está perenemente entre os principais gastadores com lobby em Washington, juntamente com algumas operadoras, empresas de defesa e companhias de saúde.

O presidente-executivo do Google, Sundar Pichai, que testemunhou em dezembro na Câmara dos Deputados dos Estados Unidos pela primeira vez, disse que a empresa apoia a ideia da legislação nacional de privacidade. Mas ele contestou acusações de que a empresa tenha um viés político em seus resultados de pesquisa e de uma concorrência acirrada.

Presidente-executivo do Google, Sundar Pichai, fala no Capitólio
Presidente-executivo do Google, Sundar Pichai, fala no Capitólio - Xinhua/Liu Jie

Susan Molinari, a principal autoridade de políticas públicas dos EUA, se retirou para assumir um cargo de consultoria neste mês.

O Facebook disse que discutir a "integridade das eleições" com autoridades de segurança nacional estava entre as novas áreas de lobby no quarto trimestre. O documento informava que a empresa continuava fazendo lobby na Federal Trade Commission, que está investigando suas práticas de segurança de dados.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.