Descrição de chapéu Previdência Governo Bolsonaro

Líder do governo na Câmara nega fracasso em mobilizar lideranças que apoiam Bolsonaro

Major Vitor Hugo diz que Congresso terá tempo para discutir Previdência

Angela Boldrini Thiago Resende
Brasília

O líder do governo na Câmara, Major Vitor Hugo (PSL-GO), negou que a primeira tentativa de reunir lideranças de partidos que apoiam o presidente Jair Bolsonaro na Casa tenha fracassado.

"A gente não considera um fracasso. Não é um indicativo de nada. A gente está começando agora. É o terceiro ou quarto dia da legislatura. É natural que haja um aguardo dos partidos para verificar a postura do governo em relação aos próprios partidos e líderes e isso vai acontecer com calma e tranquilidade", afirmou nesta quarta-feira (6), após encontro com líderes convocado por Maia.

A assessoria do deputado enviou uma mensagem convocando líderes do "apoio consistente" e "apoio condicionado" para uma reunião na terça-feira (5), que trataria de apresentações e da articulação do governo sobre pautas prioritárias como a Previdência

Deputado Major Vitor Hugo (PSL-GO) assume a liderança do governo Bolsonaro na Câmara
Deputado Major Vitor Hugo (PSL-GO) assume a liderança do governo Bolsonaro na Câmara - Reprodução/Facebook

A mensagem foi mal interpretada por deputados, e a reunião que discutiria a reforma da Previdência de Bolsonaro foi esvaziada.

Segundo o líder do governo, essas classificações foram usadas pela equipe dele e foram retiradas de um estudo do Diap (Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar).

Nesta terça-feira (5), o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) declarou ser possível que a reforma da Previdência seja votada até maio na Casa - uma hipótese otimista, considerando que o governo deve enviar uma nova Proposta de Emenda à Constituição (PEC) e ser analisada em comissões.

Segundo o líder do governo, Maia fez esclarecimentos aos líderes sobre o calendário e disse que isso é uma referência.

"O prazo do Parlamento será respeitado. É preciso que haja discussões para o natural aperfeiçoamento do texto. O governo vai enviar uma proposta em breve, mas a diversidade, o choque de ideias aqui no Parlamento vai fazer, com toda certeza, com que a proposta seja aperfeiçoada", afirmou o deputado do PSL, após a primeira reunião de líderes da legislatura.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.