Descrição de chapéu Governo Bolsonaro

'Quebraram o Brasil', diz Guedes sobre quem pede subsídios

Ministro afirma que é preciso mostrar o que será feito pelo país antes de fazer pedidos

Bernardo Caram
Brasília

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou nesta quarta-feira (13) que aqueles que vêm a Brasília em busca de subsídios do governo quebraram o Brasil.

Em recado a empresários, o ministro disse que antes de fazer qualquer pedido de ajuda à União é preciso mostrar o que pode ser oferecido ao país.

“Todo mundo vem pedir subsídios, dinheiro para isso, dinheiro para aquilo. Eu falo: o que vocês podem fazer pelo Brasil? Quebraram o Brasil, quebraram o Brasil”, afirmou.

Desde a vitória do presidente Jair Bolsonaro nas eleições do ano passado, a equipe econômica vem defendendo a redução dos desembolsos do governo para auxílios setoriais a empresários.

“Vejo muita gente vindo de muitas partes do Brasil para pedir coisas para o Brasil. A pergunta é: o que eles podem dar para o Brasil?”, disse.

A frase remete a John F. Kennedy, que disse, em 1961, quando presidente dos EUA: “Não pergunte o que seu país pode fazer por você, [mas] o que você pode fazer por seu país”.

A fala de Guedes foi feita em breve discurso de Guedes durante evento de lançamento de uma ferramenta digital que publica dados sobre gastos do governo federal com viagens de servidores e autoridades.

“Nós estamos servindo ao Brasil, Vocês estão defendendo o patrimônio do Brasil”, afirmou o ministro a uma plateia de servidores públicos.

No encontro, ao mencionar a crise fiscal nos estados, Guedes ainda criticou a atuação dos tribunais de contas estaduais. O ministro afirmou que o governo está trabalhando para fazer com que esses órgãos tentem “subir ao padrão” do TCU (Tribunal de Contas da União).

"O TCU vai ter que ajudar os tribunais de contas estaduais. Os governos estaduais estouraram, em visível falta de controle dos tribunais estaduais", disse.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.