Descrição de chapéu Previdência Governo Bolsonaro

Previdência será votada na Comissão em abril, diz presidente do CCJ

Francischini pode reavaliar prazo de escolha de relator se texto de militares atrasar

Angela Boldrini Thiago Resende
Brasília

A reforma da Previdência deve ficar para a primeira semana de abril, afirmou o presidente da CCJ (Comissão de Constituição e Justiça), Felipe Francischini (PSL-PR).

"Muito difícil votar antes", afirmou o deputado. A previsão de votação do texto no colegiado, que analisará sua admissibilidade, era inicialmente no final de março.

Francischini, porém, diz que líderes partidários querem esperar a chegada do projeto que altera as regras de aposentadoria de militares para só então começar a análise do texto.

O deputado Felipe Francischini (PSL-PR), presidente da Comissão e Constituição e Justiça da Câmara
O deputado Felipe Francischini (PSL-PR), presidente da Comissão e Constituição e Justiça da Câmara - Pedro Ladeira - 13.mar.19/Folhapress

A nova data de votação ficou prevista para a semana de quarta-feira, 3 de abril.

A proposta dos militares deve chegar ao Congresso até esta quarta-feira (20). Depois disso, Francischini designará um relator para tratar da reforma no colegiado.

Ele diz que caso haja atraso no envio do projeto é possível reavaliar os prazos para a escolha do relator. "Se der sinais de que atrasará, conversarei com os coordenadores partidários na CCJ para redefinir", disse.

A CCJ é a primeira fase da apreciação da reforma da Previdência. Depois, se aprovada, ela seguirá para a comissão especial, onde terá o mérito analisado.

O governo estima que tem os votos necessários para a aprovação da reforma na CCJ, mas quer ampliar a margem para evitar chegar enfraquecido à votação mais difícil, na comissão especial.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.