Criptomoeda do Facebook pressiona bancos da UE por pagamentos instantâneos

Metade dos bancos da zona do euro já tinha sistema que sustenta essas transações

Bruxelas | Reuters

A zona do euro pode ter um sistema de pagamentos instantâneo compartilhado por todos os bancos do bloco até o final de 2020, disseram autoridades do setor financeiro, em um momento em que bancos enfrentam a concorrência do Facebook e outras empresas de tecnologia.

Pagamentos em tempo real têm sido possíveis no bloco desde 2017, mas apenas cerca de metade dos bancos da zona do euro aderiram ao sistema que sustenta essas transações e é usado principalmente para pagamentos domésticos.

Calibra, carteira virtual da Libra, criptomoeda do Facebook
Calibra, carteira virtual da Libra, criptomoeda do Facebook - Divulgação/Facebook

O projeto agora pode acelerar à medida que os bancos sentem a pressão de novos concorrentes como o Facebook, que na semana passada revelou planos para criar uma criptomoeda que oferecerá pagamentos instantâneos a seus usuários em todo o mundo.

"O tempo está correndo", disse Etienne Goosse, diretor-geral do EPC (European Payments Council - Conselho Europeu de Pagamentos), que reúne grandes bancos europeus, incluindo o espanhol Santander, o alemão Deutsche Bank e o francês Société Générale.

Goosse disse que, independentemente do sucesso do Facebook com sua entrada no setor de pagamentos, as grandes empresas de tecnologia estão aqui para ficar e os bancos precisam agir mais rapidamente.

Ele disse que as grandes empresas de tecnologia têm a vantagem de serem globais, ao contrário do fragmentado setor bancário europeu.

"Eles vêm com uma solução global, sob uma marca global que oferece muitas coisas que os consumidores parecem achar maravilhosas", disse Goosse quando questionado sobre o impacto dos planos do Facebook para a criptomoeda libra.

O sistema do EPC para pagamentos instantâneos até agora foi adotado por cerca de 60% das instituições financeiras e prestadores de serviços de pagamentos na zona do euro, disse Goosse, acrescentando que pode chegar a todos os bancos do bloco até o final de 2020.

Sem cobertura total, alguns clientes de bancos poderiam passar por falhas nas transações se as transferências envolverem bancos fora do sistema, o que reduz a confiança no novo serviço, disse outra autoridade do EPC.

Os pagamentos instantâneos permitem que transações entre indivíduos e empresas sejam concluídas em questão de segundos. Transferências tradicionais levam pelo menos um dia antes do pagamento ser creditado.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.