Em nova redução, economistas projetam expansão de 0,87% para PIB em 2019

Grupo que mais acerta previsões em pesquisa do Banco Central acredita em queda de juros mais acentuada em 2019

São Paulo | Reuters

A pesquisa Focus, levantamento semanal feito pelo Banco Central com economistas, apontou que a expectativa para o crescimento do PIB (Produto Interno Bruto) em 2019 caiu pela 17ª vez seguida, chegando a 0,87%.

Na semana passada, as projeções apontavam crescimento de de 0,93%.

Para 2020 foi mantida a projeção de expansão de 2,20%.

As estimativas para a inflação também voltaram a cair, com a alta do IPCA agora calculada em 3,82% este ano e 3,95% no próximo,.

O centro da meta oficial de 2019 é de 4,25 por cento e, de 2020, de 4 por cento, ambos com margem de tolerância de 1,5 ponto percentual para mais ou menos.


O levantamento anterior apontava para inflação de 3,84% e 4,00% respectivamente.

Os economistas consultados veem a Selic a 5,75% este ano e a 6,5% no próximo, mesmos patamares da última pesquisa. 

Por outro lado, o grupo dos economistas que mais acertam as previsões na pesquisa passou a ver a taxa básica de juros Selic mais baixa tanto neste ano quanto no próximo, com as projeções gerais para inflação e crescimento econômico sendo reduzidas novamente.

A pesquisa do Banco Central divulgada nesta segunda-feira mostra que o Top-5 projeta agora a Selic a 5,50% em 2019 e a 6,25% em 2020, de 5,75% e 6,50% respectivamente antes.

Na semana passada, o BC manteve os juros no piso histórico de 6,50% e ressalvou que, embora o balanço de riscos para a inflação tenha evoluído de maneira favorável, o risco relacionado à agenda de reformas é preponderante, o que pede manutenção do juro básico no atual patamar.

Para economistas, a sinalização é de que cortes de juros só ocorrerão após a aprovação da reforma da Previdência, o que é dado como certo pela grande maioria do mercado.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.