Descrição de chapéu Previdência

Veja os pontos já aprovados e os que estão em debate que suavizam a reforma da Previdência

Câmara dos Deputados discute nesta sexta-feira (12) as demais mudanças no texto-base

São Paulo

A Câmara dos Deputados discute nesta sexta-feira (12) as demais mudanças no texto-base da reforma da Previdência. Destaques são medidas que alteram pontos específicos do projeto original aprovado no plenário. 

Foram analisados 11 destaques na noite de quinta-feira (11). Quatro alterações foram feitas em três medidas. Entre elas, as exigências de aposentadorias para homens e mulheres do setor privado e para policiais. Foram abrandadas ainda regras para pensão por morte. O impacto fiscal das mudanças ainda não foi calculado.

O alívio no tempo de contribuição para aposentadoria de homens não estava sequer no radar, mas foi negociado na noite de quinta, em um ponto em que o governo teve que ceder para garantir o andamento da reforma no plenário. 

 

Destaques que devem ser discutidos nesta sexta

PARTIDO ASSUNTO IMPACTO EM DEZ ANOS* RESULTADO
PDT transição mais suave para setor privado e público R$ 87 bilhões rejeitado
PDT regras mais brandas para professor na ativa R$ 15 bilhões aprovado
Solidariedade nova regra de transição R$ 200 bilhões rejeitado
PDT muda a transição R$ 110 bilhões rejeitado
PT regra de cálculo de pensão mais vantajosa R$ 162 bilhões rejeitado
PT regra de cálculo de aposentadoria mais vantajosa R$ 187 bilhões rejeitado

Destaques já aprovados

Aposentadoria de mulheres
Mulheres do setor privado podem receber 100% do benefício após 35 anos de contribuição. Na proposta original, elas teriam que cumprir 15 anos do período mínimo e receberiam valor total da aposentadoria após 40 anos. O destaque foi aprovado por 344 a 132 votos. 

Pensão por morte
Incluído no mesmo destaque que mudou aposentadoria de mulheres, foi votada uma alteração na pensão por morte. O benefício não poderá ser menor do que o salário mínimo se ele for a única renda do dependente —sem considerar a renda de demais membros da família

Aposentadoria de homens
O tempo mínimo de contribuição de homens do setor privado foi reduzido para 15 anos. Na proposta inicial da reforma, o governo queria elevar o período para 20 anos.
O destaque foi aprovado por 445 votos a 15. 

Policiais
Por 467 votos a 15, foram aprovadas regras mais brandas de aposentadoria para profissionais de segurança pública que já estão na ativa. Os agentes do setor terão idade mínima de 53 anos (homem) e 52 anos (mulher).

PARTIDO ASSUNTO IMPACTO EM DEZ ANOS* RESULTADO
Podemos regras mais brandas para policiais R$ 2 bilhões aprovado
PSB tempo de contribuição de 15 anos para homens R$ 5 bilhões aprovado
DEM regras mais suaves para mulheres e para pensões e mudança na competência para julgar de gastos com mulheres e ações previdenciárias na Justiça cerca de R$ 5 bilhões com mulheres e pensões e saldo entre R$ 25 bilhões até R$ 20 bilhões de
redução de custo com Justiça
aprovado

* Cálculos preliminares. O governo só irá divulgar o impacto quando a Câmara concluir a votação em primeiro turno

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.