Descrição de chapéu Governo Bolsonaro Previdência

Alexandre Frota diz que governo Bolsonaro não precisa de seu voto em segundo turno da reforma

Deputado tem se envolvido em disputas internas com correligionários e vai se abster da votação

Thais Arbex
Brasília

O deputado Alexandre Frota (PSL-SP) afirmou à Folha na manhã desta quarta-feira (7) que decidiu se abster na votação em segundo turno da reforma da Previdência porque o governo de Jair Bolsonaro não precisava do voto dele. 

 
 

“Fiz tudo que combinei com o governo até hoje. O governo não precisava do meu voto, mas demonstra que um voto pesa tanto quanto de um deputado que tenha sido eleito com 1 milhão de votos”, disse. 

O deputado Alexandre Frota (PSL-SP) momentos antes da votação do texto-base da reforma, em julho - Pedro Ladeira-10.jul.2019/Folhapress

O plenário da Câmara dos Deputados aprovou na madrugada desta quarta-feira (7), em segundo turno, o texto-base da proposta de reforma da Previdência apresentada pelo governo Jair Bolsonaro.

Foram 370 votos a favor, e 124 contra —o mínimo necessário para a aprovação era de 308 apoios.

O único deputado presente que marcou "abstenção" foi  Frota,  que chegou a ser o coordenador da bancada do partido na comissão especial. Ele tem se envolvido em disputas internas com correligionários e criticado o governo nas redes sociais. 

De acordo com Frota, ao chegar na Câmara  nesta terça-feira (6), ele foi informado pelo presidente do PSL, Luciano Bivar (PE), e pelo líder do partido, delegado Waldir (GO), que Bolsonaro havia solicitado que ele fosse  retirado da vice liderança do PSL e da coordenação da reforma tributária. O deputado também perdeu o controle do diretório do PSL em Cotia (SP), sua cidade. 



 

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.