Maia quer reformular critérios de estabilidade de servidores na Câmara

Presidente da Câmara disse que reforma administrativa não afetará os servidores já concursados

Angela Boldrini
Brasília

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou nesta quinta-feira (15) que pretende incluir um "novo marco de estabilidade" de servidores durante a reforma administrativa da Câmara.

Segundo ele, a medida não afetará os servidores já concursados. "Para os futuros é claro que a gente quer constituir um novo marco de estabilidade do servidor público. O que é estabilidade, em que condições?", disse. 

0
Plenário da Câmara dos Deputados durante votação da MP da Liberdade Econômica, sob o comando do presidente da Casa, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), ao lado do relator da matéria Jerônimo Goergen (PP) - Pedro Ladeira/Folhapress

"Não é porque é carreira de estado que você vai ter a prerrogativa de não poder ser demitido em todas as condições", afirmou ele após palestra para alunos do UniCeub, universidade particular de Brasília. "É claro que você não pode mudar o governo e mudar todos os auditores fiscais, você tem que ter regras que garantam a estabilidade dele para a função. Mas a eficiência tem que fazer parte da carreira." 

O presidente anunciou que assinará nesta quinta um convênio com o Movimento Brasil Competitivo, e que a empresa de consultoria de gestão Falconi irá promover uma reforma administrativa na Casa. 

Ele, no entanto, não detalhou as mudanças que devem ser feitas. "Queremos organizar daqui para frente uma Câmara dos Deputados que custe menos, que garanta maior eficiência", afirmou. 

Segundo informações da Câmara, há 2.830 servidores ocupando cargos com estabilidade na carreira legislativa em 2019, na Casa. 

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.