Descrição de chapéu Previdência

Setores foram patrióticos na Previdência por não serem atingidos, diz Maia

Presidente da Câmara afirma ser normal que certos segmentos paguem mais impostos com reforma tributária

Bernardo Caram
Brasília

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou nesta quinta-feira (17) que setores da economia foram patrióticos durante a tramitação da reforma da Previdência porque não foram atingidos pelas mudanças nas regras.

Na avaliação do presidente da Câmara, é normal que certos segmentos tenham elevação de carga tributária após a reestruturação do sistema de impostos do país.

Após se reunir com o ministro da Economia, Paulo Guedes, e o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), Maia disse ter visto uma afirmação do secretário do Tesouro Nacional, Mansueto Almeida, de que a reforma tributária vai demorar a ser aprovada por falta de acordo no setor produtivo.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (esq.), e o do Senado, Davi Alcolumbre - Marcelo Camargo -29.ago.2019/Agência Brasil

“Eu peço desculpas ao meu amigo Mansueto, mas ele está errado”, disse o presidente da Câmara. Para ele, o acordo deve ser feito com a sociedade e esses segmentos precisam entender que hoje há distorções na cobrança de tributos.

“Todos esses setores foram muito patrióticos na reforma da Previdência porque não foram atingidos. Agora é normal, com um sistema tributário novo, com a simplificação do sistema, que se transfira carga tributária. Quem não paga, passa a pagar, e quem paga muito, vai pagar de forma equilibrada”, afirmou.

Procurado, o Tesouro Nacional afirmou que o secretário disse que a reforma tributária seria aprovada rapidamente e que há ambiente para aprovação, mas que ainda é preciso ver a especificidade dos impactos setoriais de uma reforma mais ampla.

Em nota, o secretário Mansueto Almeida disse concordar com o presidente da Câmara e que a sociedade quer a reforma tributária.

"Concordamos. O que tenho dúvida é do escopo da reforma tributária e do impacto de algumas mudanças setoriais. Mas temos excelente diálogo com a Câmara dos Deputados e com Senado. Se tivermos consenso na sociedade para a reforma tributária avançar rapidamente, será ótimo pois nosso sistema tributária é muito complexo”, disse.

Maia disse que ainda não há definição sobre o andamento das propostas que serão apresentadas pelo governo após eventual aprovação da reforma da Previdência, que está em fase final no Senado.

De acordo com o líder do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), a equipe econômica vai apresentar uma lista de propostas na próxima quarta-feira (23) que incluirá a reforma tributária, a reforma administrativa e alterações em regras fiscais.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.