Descrição de chapéu Financial Times

Nestlé vai vender operações de sorvetes da Häagen-Dazs por US$ 4 bilhões

A venda é o mais recente desinvestimento promovido por Mark Schneider, o presidente-executivo da companhia

Leila Abboud Arash Massoudi
Londres | Financial Times

A Nestlé venderá suas operações de sorvetes nos Estados Unidos, que incluem a marca Häagen-Dazs, a um grupo de capital privado, por US$ 4 bilhões em dinheiro [R$ 16,5 bilhões]. Isso que criará um desafiante mais forte para a Unilever na categoria das sobremesas congeladas.

A transação vai ampliar o tamanho e o alcance geográfico da Froneri, criada em 2016, quando a Nestlé fundiu algumas de suas operações europeias de sorvetes com a R&R, uma empresa controlada pelo grupo de capital privado PAI Partners.

pote pequeno (300 ml) de sorvete da Häagen-Dazs
Sorvete Vanilla Caramel Brownie, da Häagen-Dazs - Divulgação

Desde então, os dois lados vêm operando a Froneri como joint venture, com a Nestlé e a PAI Partners, sediada em Paris controlando participações acionárias de pouco menos de 50% cada, e os gestores da empresa detendo as demais ações.

A venda é o mais recente desinvestimento promovido por Mark Schneider, presidente-executivo da Nestlé, que tenta reordenar a carteira de ativos da maior fabricante mundial de produtos alimentícios, para lidar com as amplas mudanças nas preferências dos consumidores.

Ele vendeu a divisão de produtos para a saúde da pele da Nestlé a um grupo de capital privado neste ano por cerca de US$ 10 bilhões, e vendeu também uma subsidiária de seguros de vida por US$ 1,5 bilhão. Parte dos proventos será devolvida aos investidores por meio de recompras de ações, prometeu a Nestlé.

Uma pessoa informada sobre a transação disse que ela despertava questões sobre o que a companhia faria com o restante de suas operações no segmento de sorvetes. “Isso significa que a Nestlé pretende abandonar o segmento de vez? É razoável questionar se eles estão comprometidos em longo prazo com o negócio do sorvete”.

Depois da transação, a Froneri terá faturamento de cerca de €  4,5 bilhões por ano, ante € 2,7 bilhões no ano passado e € 1 bilhão de euros em 2013, quando a PAI Partners adquiriu a companhia.

“Estamos muito empolgados com levar a Froneri para os Estados Unidos, e esperamos desenvolver seus negócios lá, com as fantásticas marcas da Nestlé, como Häagen-Dazs e Drumstick”, disse Ibrahim Najafi, presidente-executivo da Froneri.

A Froneri controlará a marca Häagen-Dazs nos Estados Unidos, o que traz a perspectiva de que busque adquirir os direitos sobre a marca fora daquele país, controlados pela companhia americana de alimentação General Mills.

Schneider disse que “a criação da Froneri foi um sucesso fenomenal. Agora estamos fazendo desse negócio nosso parceiro estratégico mundial nos sorvetes, e estamos convencidos de que o modelo de negócios bem-sucedido da Froneri pode ser estendido ao mercado dos Estados Unidos”.

A Froneri é um dos diversos exemplos de como grupos de capital privado vêm se beneficiando dos esforços dos gigantes do setor de alimentos para desovar ativos de mau desempenho. A Unilever vendeu sua divisão de pastas ao fundo americano KKR, por € 6,8 bilhões em 2017, depois de um leilão ferozmente disputado por marcas como as margarinas Flora e Becel.

O banco Rothschild assessorou a Froneri na transação, enquanto o Credit Suisse trabalhou com a Nestlé.


tradução de Paulo Migliacci

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.