Google proíbe software Zoom em laptops de funcionários

Empresa citou preocupações com segurança

Bangalore (Índia) | Reuters

A Google proibiu na quarta-feira (8) o uso do aplicativo de videoconferência Zoom nos laptops de seus empregados, citando preocupações de segurança.

"Recentemente, nossa equipe de segurança informou aos empregados que usavam o Zoom Desktop Client que ele não vai mais funcionar nos computadores da empresa, pois não preenche nossos critérios de segurança para apps usados por nossos empregados", disse o porta-voz da Google, Jose Castaneda.

A Google ainda permitirá o uso do Zoom em apps de celulares e navegadores, acrescentou ele.

O app, de propriedade da Zoom Video Communications Inc., está enfrentando uma reação de usuários preocupados com a falta de criptografia de ponta a ponta em sessões de reuniões e o "zoombombing" [bombardeio], onde participantes não convidados invadem as reuniões.

O BuzzFeed deu primeiramente a notícia. A ação da Zoom estava em alta de aproximadamente 1,5%, em US$ 115.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.