Descrição de chapéu Coronavírus

PIB da OCDE cai 1,8% no primeiro trimestre de 2020

Japão, que encerrou estado de emergência em 5 regiões, foi o menos atingido pela crise

Bruxelas

O PIB de 37 entre as maiores economias do mundo, reunidas na OCDE, caiu 1,8% no primeiro trimestre deste ano em relação ao último trimestre de 2019, divulgou nesta terça (26) a organização.

O impacto da pandemia de coronavírus sobre os países foi irregular, com o PIB francês recuando quase 6%, enquanto o do Japão teve redução de menos de 1%. O país asiático encerrou na segunda estado de emergência em cinco regiões.

A queda no primeiro trimestre de 2020 não superou a contração de 2,3% registrada no primeiro trimestre de 2009, no auge da crise financeira iniciada em 2008.

Consumidores são testados antes de entrar em prédio em Tóquio; governo anunciou reabertura gradual - Behrouz Mehri/AFP

Entre os sete principais países, França e Itália foram as mais atingidas tanto pelo coronavírus quanto pelo impacto de medidas rigorosas de confinamento. A economia recuou 5,8% e 4,7%, respectivamente, em comparação com menos 0,1% e menos 0,3% no trimestre anterior.

Houve queda acentuada também no Canadá (-2,6%), na Alemanha (-2,2%) e no Reino Unido (-2%). No trimestre anterior, o PIB dos três países havia oscilado em 0,1%, -0,1% e 0%, respectivamente.

Nos Estados Unidos, onde o confinamento foi decretado em vários estados no final de março, a contração do PIB foi de 1,2%.

A economia japonesa contraiu-se menos no primeiro trimestre deste ano (-0,9%) que no trimestre anterior, quando havia caído 1,9%.

Na área do euro e na União Europeia, o PIB diminuiu 3,8% e 3,3%, respectivamente, em comparação com um crescimento de 0,1% e 0,2% no trimestre anterior.

Na comparação com o primeiro trimestre de 2019, o PIB dos países da OCDE caiu 0,8% no primeiro trimestre de 2020. Entre as sete principais economias, os Estados Unidos registraram o maior crescimento anual (0,3%), enquanto a França registrou a queda anual mais acentuada (menos 5,4%).

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.