Dona da Riachuelo desiste de transformar financeira em banco

Grupo pedirá nova autorização ao Banco Central para oferta de contas digitais

São Paulo

O grupo Guararapes, que controla a Riachuelo, anunciou nesta terça-feira (14) que decidiu suspender o processo de transformação da Midway –financeira da companhia– em banco e que vai focar os esforços em conseguir a autorização do Banco Central para oferecer contas digitais.

O grupo, que já havia determinado a criação do Banco Midway em novembro de 2018, ainda aguardava a autorização da autoridade monetária para operar no sistema financeiro.

Em comunicado aos acionistas, a companhia disse que o motivo da decisão foi a aceleração da transformação de seu modelo de negócios em uma “grande plataforma digital centrada no cliente”, mas afirmou que mantém seu plano de transformar a Midway em uma plataforma digital de serviços financeiros.

Fábrica da Riachuelo em Natal (RN)
Fábrica da Riachuelo em Natal (RN) - Igor Utsumi - 24.abr.2019/Folhapress

O setor varejista já vinha ampliando a atuação na área financeira e acelerou o processo diante do crescente uso de canais digitais na pandemia. Mais recentemente, tem redobrado a atenção para uma possível integração às novidades do mercado, como o open banking e o PIX, sistema de pagamentos instantâneos do Banco Central a ser lançado em novembro deste ano.

No caso do grupo Guararapes, a possibilidade de oferecer contas digitais –somada aos investimentos tecnológicos que a companhia tem implementado em sua plataforma de cartões no último ano, por exemplo– pode ser um passo a mais na atuação da companhia no sistema financeiro.

“Em reunião do conselho de administração da companhia [...] decidiu-se por suspender o processo para transformar a Midway Financeira em banco múltiplo e solicitar ao Banco Central a autorização para oferecer contas digitais por meio de uma estrutura mais ágil, otimizada e focada no cliente”, afirmou a controladora da Riachuelo em nota.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.