Bradesco é empresa latina que mais lucrou no primeiro semestre

Apesar de queda no resultado, bancos brasileiros lideram ganhos no período

São Paulo

O Bradesco teve o maior lucro entre as empresas de capital aberto listadas na América Latina no primeiro semestre de 2020. Segundo levantamento da Economatica, somando o primeiro e segundo trimestres, o banco teve um resultado de US$ 1,26 bilhão (R$ 6,85 bilhões), uma queda de 59% em relação aos seis primeiros meses de 2019.

O segundo colocado é o Itaú, com lucro de US$ 1,24 bilhão (R$ 6,74 bilhões), queda de 64,7%. Banco do Brasil vem em terceiro lugar, com US$ 1,17 bilhão (R$ 6,36 bilhões), queda de 45,3%.

Logo do Bradesco
Bradesco é empresa que mais lucra na América Latina no primeiro semestre - Paulo Whitaker / REUTERS

O tombo nos resultados dos bancos foi causado pelo forte aumento de reservas para cobrir eventuais calotes, consequência dos danos econômicos do coronavírus. Apesar do movimento, o setor ainda é o que mais lucra dentre as companhias da América Latina.

A lista com as 20 latinas mais lucrativas tem oito bancos e quatro empresas de energia elétrica. São 13 empresas brasileiras, três mexicanas, duas chilenas e duas colombianas.

A Vale, empresa mais valiosa do Brasil e segunda latina mais valiosa, vem na quarta posição, com US$ 1,14 bilhão (R$ 6,2 bilhões), um aumento de 164,5% em relação a 2019, com a recuperação dos preços do minério de ferro e sem efeitos de Brumadinho.

Os maiores lucros de empresas listadas na América Latina no primeiro semestre de 2020

Fonte: Economatica

  1. Bradesco - banco

    US$ 1,257 bilhão

  2. Itaú - banco

    US$ 1,246 bilhão

  3. Banco do Brasil - banco

    US$ 1,171 bilhão

  4. Vale - mineração

    US$ 1,145 bilhão

  5. Santander Brasil - banco

    US$ 1,06 bilhão

  6. Eletrobras - energia elétrica

    US$ 890 milhões

  7. Banorte - banco

    US$ 677 milhões

  8. Walmart México - varejo

    US$ 505 milhões

  9. Ambev - bebidas

    US$ 423 milhões

  10. Santander México - banco

    U$ 417 milhões

  11. Vivo - comunicação

    US$ 414 milhões

  12. Copel - energia elétrica

    US$ 387 milhões

  13. B3 - setor financeiro

    US$ 350 milhões

  14. BB Seguridade - seguradora

    US$ 335,9 milhões

  15. Grupo Energía de Bogotá - energia elétrica

    US$ 323 milhões

  16. BTG - banco

    US$ 318 milhões

  17. Banco de Chile - banco

    US$ 304,5 milhões

  18. Banco de Bogotá - banco

    US$ 299,7 milhões

  19. Enel - energia elétrica

    US$ 297 milhões

  20. Itaúsa - administração de empresas

    US$ 294 milhões

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.