Interesse pelo preço de alimentos e dólar bate recorde em 2020

Principais destaques são arroz, muçarela e soja; procura por ouro e iPhone também cresceram

São Paulo

O interesse dos brasileiros pelo preço de produtos bateu recorde nas buscas do Google em 2020.

Um levantamento feito pelo Google Trends aponta que as procuras pelo termo “preço” atingiram o pico do índice de popularidade no site de pesquisas neste ano.

Até quinta-feira (29), a busca pela palavra marcava uma média parcial de 94 pontos em outubro —em igual mês de 2019, o indicador estava em 88 pontos. O índice vai de 0 a 100.

Preço do arroz em alta nas gôndolas dos supermercados
Preço do arroz em alta nas gôndolas dos supermercados - Elaine Granconato - 9.set.2020/Folhapress

Dentre os principais destaques estiveram as pesquisas pelo preço de alimentos. O termo com uma das maiores popularidades neste ano foi “preço de arroz”, que atingiu 100 pontos em setembro. Na média parcial de outubro, a busca caiu para 20 pontos, mas o índice é mais do que o triplo do registrado no mesmo mês do ano passado, quando marcava 6 pontos.

Em setembro, o grão registrou uma disparada nos preços. Segundo produtores de arroz ouvidos pela Folha na época, o aumento seria resultado de mudanças tanto no mercado externo, com aumento das exportações, quanto no mercado interno, uma vez que o brasileiro passou a comer mais em casa durante a pandemia.

Segundo o Google Trends, as pesquisas sobre os preços do arroz subiram 960% neste ano em relação a 2019.

A segunda maior alta foi para as buscas para o preço da muçarela (com a grafia "mussarela"), que subiu 560% na mesma base de comparação.

As procuras pelo preço da soja também tiveram destaque —atingiram 100 pontos em março .

Em outubro, o indicador marca uma média parcial de 59 pontos —valor que ainda representa uma alta de 18% em comparação a igual mês de 2019, quando o indicador registrava 50 pontos no índice de popularidade.

Segundo o Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada), o preço da soja tem batido recordes neste ano, pressionado pelo baixo excedente interno, o cultivo tardio no Brasil e pela valorização externa.

Segundo o Google Trends, entre as cinco maiores buscas por preços de alimentos também estavam o leite, o café e o milho.

Fora da categoria alimento, o termo mais buscado junto ao tema “preço” foi o dólar.

Os riscos de uma segunda onda de coronavírus —situação que prejudicaria a retomada das economias no mundo”, a proximidade da eleição nos Estados Unidos e as preocupações com a questão fiscal do Brasil têm levado investidores a buscar ativos de proteção, como é o caso da moeda americana.

Além do dólar, os termos “preço do iPhone” e “preço do ouro” também estiveram entre os mais procurados pelos brasileiros.

O indicador aponta, ainda, que as pesquisas pelas palavras “está caro” também bateram recorde neste ano. Em setembro, o termo atingiu os 100 pontos pela primeira vez desde o início da série histórica do indicador, em 2004.

Em outubro, o índice de popularidade do termo baixou para 62 pontos —mais do que o dobro (158%) de crescimento em relação à pontuação registrada em igual mês do ano passado.

Termos de busca relacionados a preço dentro da categoria de alimentos mais buscados em 2020

  1. Preço da soja

  2. Preço do arroz

  3. Preço do leite

  4. Preço do café

  5. Preço do milho

  6. Preço da carne

  7. Preço leite condensado

  8. Preço do feijão

  9. Preço leite ninho

  10. Queijo muçarela preço (com a grafia "mussarela")

Perguntas mais buscadas junto ao tema "caro" em 2020 no Brasil

  1. Por que o arroz está caro?

  2. Por que o arroz está tão caro?

  3. Por que o óleo está caro?

  4. Por que o óleo de soja está tão caro?

  5. Por que o frete para o Nordeste é mais caro?

  6. Por que o arroz ficou caro?

  7. Por que o queijo está caro?

  8. Por que o arroz integral é mais caro?

  9. Por que o ps4 está tão caro?

  10. Por que o iPhone é tão caro no Brasil?

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.