Descrição de chapéu Itaú

Itaú estuda separar negócio com XP e vender 5% de participação

Banco comunicou ao mercado o interesse na cisão, prevendo criação de nova companhia

São Paulo

O Itaú afirmou que vem mantendo discussões internas acerca do futuro de seu investimento na XP.

Em relatório divulgado aos seus acionistas nesta terça-feira (3), o banco afirmou que está em estágio avançado de análise e discussão de estudos para separar essa linha de negócio do conglomerado do banco em uma nova sociedade. Além disso, também informou que prevê a possibilidade de venda de 5% da XP.

Segundo o banco, uma fatia de ações representativas de 41,05% do capital da XP seria segregada para a nova sociedade (“Newco”), e aconteceria mediante a separação de empresas do conglomerado.

Guilherme Benchimol, presidente da XP
Guilherme Benchimol, presidente da XP - Danilo Verpa - 15.mai.2017/Folhapress

Com a eventual cisão, os acionistas do Itaú receberiam participação acionária na Newco, cujo único ativo seria a participação na XP. A nova sociedade seria uma companhia aberta e passaria a ser parte do acordo de acionistas da corretora.

Ainda em análise, o banco afirmou que caso decida implementar essa separação, ela apenas seria concretizada em 2021.

O Itaú também informou que fez um estudo para a venda do restante das ações de emissão da XP detidas pelo banco, correspondentes a 5% do capital social da corretora.

O objetivo dessa venda seria monetizar parte de seu investimento na companhia, o que geraria um aumento do índice de capital principal de Basileia III (reforma da regulamentação bancária feita em 2013 como forma de fortalecer o segmento depois da crise financeira de 2008).

“A venda, se concretizada e a depender das condições aplicáveis de mercado, poderá ser realizada por meio de uma ou mais ofertas públicas realizadas na Nasdaq [Bolsa de tecnologia de Nova York] ou em qualquer outra bolsa de valores na qual a XP tenha suas ações ou certificados de suas ações listados”, afirmou o Itaú em nota.

As operações ainda dependem da aprovação do conselho de administração do banco, que avaliará as condições a elas aplicáveis e seus efeitos.

“Qualquer eventual nova decisão, negociação ou transação relacionada à participação acionária da companhia na XP será prontamente comunicada ao mercado”, afirmou o banco em nota.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.