Trump cancela participação na Cúpula das Américas em Lima, no Peru

Presidente dos EUA cita Síria como razão para não viajar; vice Mike Pence o substituirá

Estelita Hass Carazzai
Washington

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, cancelou a viagem que faria nesta semana à Cúpula das Américas, encontro de líderes latino-americanos em Lima, a partir desta sexta (13).

Seria a primeira viagem do mandatário à América Latina, na qual ele teria reuniões bilaterais com outros presidentes e trataria de temas como a crise na Venezuela, o combate à corrupção e as recentes tarifas impostas ao aço e ao alumínio

O republicano também não irá visitar a Colômbia na sequência, como planejado. 

Em seu lugar, irá o vice-presidente Mike Pence. 

Segundo a Casa Branca, Trump optou por cancelar a viagem para “supervisionar a resposta americana à Síria e monitorar os desdobramentos pelo mundo”. 

Ele afirmou que daria uma resposta ao suposto ataque com armas químicas na Síria nas próximas horas, e deixou aberta a possibilidade de uma investida militar.

Organizações que atuam nas relações entre os países da região lamentaram o cancelamento e disseram que Trump envia “a mensagem errada” ao suspender a viagem, conforme afirmou o diretor para a América Latina do Atlantic Council, Jason Marczak.

“Essa seria uma oportunidade para que Trump mitigasse algumas das preocupações sobre a trajetória da política comercial americana”, afirmou.

Para a brasileira Roberta Braga, diretora-assistente do Atlantic Council, o mandatário americano “arrisca mandar a mensagem de que o relacionamento dos EUA com a América Latina não é uma prioridade”, o que é especialmente preocupante tendo em vista a crise da Venezuela.

SÍRIA

O ataque na Síria ocorreu neste sábado (7), quando pelo menos 60 pessoas morreram e mil ficaram feridas, segundo o Observatório Sírio para os Direitos Humanos.

A suspeita é que gás tóxico tenha sido usado pelas forças sírias num subúrbio de Damasco, um reduto rebelde contra o governo de Bashar al-Assad.

Trump culpou os governos da Rússia e do Irã por apoiarem o governo de al-Assad e disse que haveria “um grande preço a pagar” pelo ocorrido.

Na segunda (9), ele afirmou que anunciaria uma resposta ao ataque nas próximas 24 a 48 horas.

A decisão do presidente de não ir à Cúpula das Américas também ocorre no dia seguinte a uma batida do FBI no escritório de um de seus advogados pessoais, Michael Cohen. Trump chamou o episódio de “uma desgraça” e uma “pura e simples caça às bruxas”.

Reuters
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.