Descrição de chapéu Governo Trump

Taylor Swift bomba registro de eleitores com apoio a democratas no Tennessee

Cerca de 65 mil inscrições ocorreram em 24 horas, quase um terço do registrado em dezembro

Taylor Swift aparece de perfil, olhando para frente. Ela usa uma roupa prateada de lantejoulas. Ao fundo, painel com o logo do evento.
A cantora pop Taylor Swift chega ao American Music Awards de 2018 em Los Angeles nesta terça-feira (9) - Valerie Macon/AFP
Danielle Brant
Nova York

A onda democrata nas eleições legislativas de novembro pode ter ganhado um reforço pop: Taylor Swift. Depois que a cantora respaldou a candidatura de dois políticos do partido no Tennessee, o número de eleitores registrados disparou, segundo organização de defesa do voto.

No domingo (7), Swift, que tem 112 milhões de seguidores no Instagram, escreveu um texto incentivando os fãs a se registrarem para votar e endossando os democratas Phil Bredesen, no Senado, e Jim Cooper, na Câmara dos Deputados. Ambos disputam assentos pelo Tennessee.

Em entrevista ao site Buzzfeed, Kamari Guthrie, diretora de comunicação da organização sem fins lucrativos Vote.org, disse que os números de pedidos de registro dispararam nacionalmente e no Tennessee, depois do post da cantora no Instagram.

Ela calculou que foram feitos 65 mil registros em um período de 24 horas depois que a estrela pop escreveu o texto. Em comparação, 190.178 novos eleitores se registraram em setembro em nível nacional com a ajuda do Vote.org. Em agosto, foram 56.669 —a cantora, no post, sugeriu que os fãs acessassem o site.

O número de visitantes do Vote.org também aumentou, com 155.950 novos visitantes únicos nas 24 horas subsequentes ao post de Swift. A média diária é de 14.078.

Na postagem de domingo, Swift afirmou que, no passado, relutou em verbalizar suas opiniões políticas. No entanto, “devido a diversos eventos em minha vida e no mundo nos últimos dois anos, eu agora me sinto diferente sobre isso.”

“Eu sempre votei e sempre vou votar considerando qual candidato vai proteger e lutar pelos direitos humanos que eu acredito que todos merecemos neste país”, afirmou, citando especificamente os direitos da população LGBTQ.

A cantora também disse que o racismo “sistêmico” que ainda existe nos EUA é “aterrorizante” doentio e predominante.”

No post no Instagram, a estrela pop citou nominalmente Marsha Blackburn, candidata ao Senado pelo partido republicano. “Seu histórico de votação no Congresso me assusta e me aterroriza”, disse.

A cantora lembra que a congressista votou contra a equiparação salarial entre homens e mulheres e contra uma regra que buscava proteger mulheres de violência doméstica, por exemplo.

Swift anunciou, então, a intenção de votar em Phil Bredesen, que foi governador do Tennessee entre 2003 e 2011, e em Jim Cooper. Ela convocou os fãs que completaram 18 anos a se registrarem para votar. No Tennessee, o prazo para isso terminava nesta terça.

A decisão de Swift de entrar na disputa eleitoral deve colocar a estrela novamente em rota de colisão com um de seus mais famosos desafetos, o cantor Kanye West.

Um dos principais apoiadores de Donald Trump no cenário artístico americano, Kanye vai encontrar o republicano e o genro do presidente Jared Kushner na Casa Branca nesta quinta (11).

Em 2009, o rapper e Swift se envolveram em uma polêmica no VMA, premiação de música da MTV.

Enquanto a cantora discursava, após ter recebido o troféu na categoria Melhor Vídeo Musical Feminino, Kanye subiu ao palco, interrompeu a fala de Swift, tomou o microfone e falou que Beyoncé tinha um dos melhores vídeos de todos os tempos.

Beyoncé tentou diminuir o constrangimento gerado pela cena e, quando venceu na categoria Melhor Vídeo Musical do ano, chamou Swift ao palco. Em 2010, Kanye pediu desculpas à cantora.

Em 2016, nova polêmica: o rapper teria pedido autorização a Swift para incluir um trecho sobre a cantora em uma música que ele tinha feito. ”Eu acho que eu e Taylor ainda poderemos fazer sexo. Por que? Eu tornei aquela puta famosa.”

Swift disse que não tinha dado a permissão para que o trecho fosse incluído. Em junho, a mulher de Kanye, a socialite Kim Kardashian, disse que havia uma gravação da ligação entre Kanye e Swift com a autorização. A cantora alega que não tinha conhecimento do trecho “Eu tornei aquela puta famosa.”

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.