Número de imigrantes do bloco europeu no Reino Unido é o menor em seis anos

Já imigrantes de fora do bloco chegam ao maior índice desde 2004

Londres | Reuters

O número de imigrantes da União Europeia no Reino Unido caiu ao seu nível mais baixo em seis anos, aprofundando uma queda vista desde 2016, quando os britânicos votaram em referendo pela saída do bloco.

Segundo o Escritório Nacional de Estatísticas, o número de cidadãos da UE que se mudaram para o Reino Unido menos aqueles que deixaram a região somou 74 mil nos 12 meses até junho de 2018. Isso representa uma queda de 28% na comparação com os 12 meses anteriores, até junho de 2017.

O parlamentar conservador Phillip Lee, que renunciou por conta do "brexit", disse que os números evidenciam o êxodo esperado com a saída do bloco europeu. "Os cidadãos da UE são o pilar em que os serviços públicos fundamentais desye país se sustentam. Nós não podemos sentar e ver serviços públicos vitais como o de saúde serem danificados pelo 'brexit'. Isso não é o que prometemos para os eleitores em 2016", disse, citado pelo jornal The Guardian.

Pedestres caminham pelas ruas de Londres - Tolga Akmen/AFP

Análises divulgadas nesta quarta (28) pelo Tesouro britânico mostram que uma possível redução à zero do saldo de novos imigrantes do bloco europeu pioraria significativamente a retração já esperada da economia britânica após o "brexit".

"Estes últimos dados evidenciam a tendência contínua de queda no saldo de imigrantes da União Europeia em meio a uma crescente falta de mão de obra em todos os setores", afirmou Matthew Fell, diretor de política da Confederação da Indústria Britânica. 

Os números do Escritório Nacional de Estatísticas mostram que o saldo de imigração dos chamados A8, os oito países que se juntaram ao bloco em 2004 (Polônia, República Tcheca, Estônia, Hungria, Lituânia, Letônia, Eslováquia e Eslovênia), ficou negativo em 14 mil.

Já os imigrantes oriundos dos dois países mais pobres do bloco europeu (Romênia e Bulgária) chegaram a 34 mil nos dois anos desde o referendo. É o menos nível desde 2014, quando uma mudança garantiu acesso total dos cidadãos dos dois países ao mercado de trabalho britânico.

Quando considerado os imigrantes dos 15 países mais antigos do bloco, incluindo Alemanha, Itália e Espanha, o saldo chega a 47 mil em junho de 2018, pouco mais da metade dos 84 mil vistos nos doze meses anteriores.

Na contramão, um aumento foi registrado no número de imigrantes de países de fora do bloco europeu. O saldo chegou a 248 mil pessoas em junho de 2018, o maior índice desde 2004, atribuído principalmente aos vistos para estudantes e pedidos oriundos de países asiáticos.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.