Putin vira alvo de críticas após cumprimento efusivo com príncipe saudita

Presença de Mohammed bin Salman, alvo de denúncias, é uma das principais polêmicas do G20

O presidente russo Vladimir Putin e o príncipe herdeiro da Arábia Saudita, Mohammed bin Salman, se cumprimentam durante encontro do G20
O presidente russo Vladimir Putin e o príncipe herdeiro da Arábia Saudita, Mohammed bin Salman, se cumprimentam durante encontro do G20 - G20/AFP
Sylvia Colombo
Buenos Aires

O presidente russo, Vladimir Putin, e o príncipe saudita, Mohammed bin Salman, cumprimentaram-se de modo efusivo, com um "high five", um aperto de mãos e um sorriso, quando se encontraram na plenária do G20 nesta sexta-feira (30) em Buenos Aires. 

A presença de Bin Salman tem sido um dos pontos delicados do encontro, já que o herdeiro do trono saudita está envolto em polêmicas.

Ele o principal suspeito de ser o mandante do assassinato do jornalista Jamal Khashoggi, que foi morto na consulado saudita em Istambul.

O príncipe também é o idealizador da ação militar saudita na guerra do vizinho Iêmen, acusado de apoiar um série de violações dos direitos humanos que acontecem no conflito. 

Desde que chegou a Argentina, Bin Salman tem se mantido isolado na embaixada de seu país, e realizou, por enquanto, apenas uma reunião bilateral, com a Índia, ali mesmo.

Dias antes de a cúpula do G20 ter início, a entidade de defesa dos direitos humanos Human Rights Watch pediu à Justiça argentina que detivesse e interrogasse o príncipe saudita por conta das denúncias.

Na quinta-feira (29), o presidente argentino, Mauricio Macri, disse que o assunto deveria ser debatido no encontro.

E, nesta sexta, o francês Emmanuel Macron, em conversa com o príncipe, disse estar preocupado. Enquanto Bin Salman lhe respondia sorrindo, o mandatário francês se manteve quieto todo o tempo.

A Justiça argentina acolheu a causa da entidade de direitos humanos. O juiz federal Ariel Lijo ordenou o início de investigações, mas é pouco provável que uma decisão seja tomada antes de o príncipe deixar o território argentino.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.